• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Falta de gás de cozinha é registrada em bairros de Guarapari

Paralisação dos caminhoneiros

Geral

Falta de gás de cozinha é registrada em bairros de Guarapari

Uma das distribuidoras fez lista de espera para quando o gás chegar

Aline Couto

Redação Folha da Cidade

O gás de cozinha começou a faltar em Guarapari após quase uma semana de paralisação dos caminhoneiros. As distribuidoras alegam não estar recebendo a mercadoria e, por isso, os estoques finalizaram. 

A moradora do bairro Adalberto Simão Nader, Célia Santos, contou que o enteado a pediu para comprar um botijão de gás e ela não conseguiu encontrar. 

“Sempre compro no mesmo local, com o Paulo José, mas hoje não tinha. A informação é que talvez chegue amanhã, mas sem garantia”. O fornecedor Paulo disse que a tentativa agora é comprar por conta própria em Serra. “Estamos aguardando os caminhões para abastecimento, mas com a greve dos caminhoneiros pode demorar”.

Ana Cristina Crespo, moradora do bairro São Judas Tadeu, contou uma história parecida. “Tentei comprar gás hoje em quatro lugares diferentes e não obtive sucesso. A única coisa que consegui foi um nome na lista de espera de uma distribuidora, que aguarda a liberação de um caminhão com botijões que se encontra retido no trevo da cidade e que deve ser escoltado até Guarapari”.

Segundo Ana Cristina, a comerciante que fez a lista de espera garantiu que o preço vai se manter o mesmo assim que a venda for restabelecida. “Ela foi muito solícita e disse que o botijão irá continuar com o mesmo valor de antes da greve iniciar. O que não aconteceu com a distribuidora que costumo comprar, o proprietário falou que o preço dependia do valor do frete que ele teria que pagar”.

No centro da cidade, uma moradora que não quis se identificar, relatou que o gás dela acabou e como não conseguiu comprar, precisou pegar emprestado de uma casa de veraneio que toma conta. “Vi-me sem gás e sem ter onde comprar, aí me lembrei da casa que tomo conta e o de lá estava cheio. Fiz uma troca de botijão e assim que regularizar retorno com o botijão da casa cheio”.

A paralisação dos caminhoneiros começou na última terça-feira (22) e apesar de um acordo entre o governo e entidades ligadas a categoria, os motoristas ainda não estão satisfeitos e seguem com o protesto.