• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Ministros de Relações Exteriores da UE tentam manter vivo acordo nuclear com Irã

Geral

Ministros de Relações Exteriores da UE tentam manter vivo acordo nuclear com Irã

A União Europeia está buscando proteger os interesses estratégicos e econômicos do bloco no Irã após a retirada dos Estados Unidos do acordo nuclear internacional firmado em 2015, enquanto a comissária de Relações Exteriores da UE, Federica Mogherini, insistiu nesta segunda-feira que a unidade dos Estados-membros é inquestionável. Após uma reunião de ministros das Relações Exteriores da UE, Mogherini disse que os países estavam intensamente coordenando esforços para "proteger os investimentos econômicos de empresas europeias que legitimamente investiram e se engajaram no Irã" nos últimos três anos.

O ministro de Relações Exteriores da Polônia, Jacek Czaputowicz, afirmou que o país se opõe a qualquer ação da UE que enfraqueça as sanções dos EUA. Washington se retirou do pacto no início do mês e quer impor duras sanções contra Teerã, o que pode ter impacto sobre algumas empresas europeias que fazem negócios com iranianos.

As potências europeias dizem que estão comprometidas em continuar trabalhando juntas para salvar o acordo porque acreditam que essa é a melhor maneira de evitar que Teerã desenvolva uma bomba nuclear. Mogherini insistiu que a UE não está motivada pelos lucros das empresas na tentativa de manter o acordo vivo. "Para nós, isso não é um interesse econômico. Trata-se de um interesse de segurança", disse a comissária.

Ela também minimizou relatos de atrito entre a Polônia e o restante da UE sobre como lidar com o presidente americano, Donald Trump, e sua postura linha-dura em relação ao Irã. Mogherini afirmou que a UE como um todo também compartilha algumas das preocupações de Trump quando se trata do papel do Irã no Oriente Médio e seu programa de mísseis balísticos. No geral, ela afirmou que "a primeira preocupação que compartilhamos está relacionada à possibilidade de o Irã desenvolver uma arma nuclear" e manter o acordo vivo é a melhor maneira de evitar isso. Fonte: Associated Press.