• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Notícia sobre doação de galinhas circula nas redes sociais e fila quilométrica se forma em VV

Paralisação dos caminhoneiros

Geral

Notícia sobre doação de galinhas circula nas redes sociais e fila quilométrica se forma em VV

Centenas de pessoas se concentraram nas proximidades de uma loja de material de construção em Vila Batista, durante a tarde e noite desta terça-feira

Fila quilométrica se formou ao longo da estrada Jerônimo Monteiro, em Vila Batista, nesta terça-feira

Uma notícia sobre distribuição gratuita de galinhas e ovos levou centenas de pessoas para a porta de uma loja de material de construção no bairro Vila Batista, em Vila Velha, na tarde desta terça-feira (29). Uma fila quilométrica se formou ao longo da estrada Jerônimo Monteiro e chegou até a outras ruas adjacentes, mas até a noite desta terça nenhuma galinha havia chegado ao local para ser doada.

A informação sobre a suposta distribuição das aves chegou até os moradores da região por meio das redes sociais e de grupos de conversa pelo celular. Durante a manhã, o dono do estabelecimento havia saído de caminhão em direção a Santa Maria de Jetibá, na região serrana do Estado, onde buscaria as galinhas. No entanto, a informação chegou ao povo antes mesmo dos animais.

"Um conhecido dele falou: 'nós estamos doando galinhas. Então dá uma subidinha aqui, enche os caminhões e dá para o povo'. E ele saiu com o caminhão, com as grades em cima. O povo dever ter visto, porque nós não publicamos, não conversamos com ninguém sobre isso, e começou a juntar fila. E não acaba mais a fila", disse a gerente da loja, Geisa Carla.

A notícia começou a circular na hora do almoço e, poucas horas depois, uma imensa fila se formou nas imediações do estabelecimento. Muitas pessoas levaram caixas, carrinhos, sacolas ou qualquer outra coisa que ajudasse a carregar as doações.

A Polícia Militar precisou ser acionada para evitar tumulto próximo ao estabelecimento

Com medo de tumulto, a gerente da loja pediu o apoio da Polícia Militar e duas viaturas se posicionaram em frente ao estabelecimento. No meio da tarde, ela perdeu o contato com o motorista do caminhão e ficou sem saber quando as galinhas chegariam. Enquanto isso, a fila ao redor do material de construção só aumentava.

"Estou preocupada, porque o nosso plano é chegar esse caminhão, mas eu já falei com as pessoas: 'gente, não fiquem na filha. Vão para casa. Chegando, eu passo uma mensagem no 'Face' e vocês vêm'. Mas eles não querem ir embora", lamentou.

Durante a noite, a gerente conseguiu contato com o motorista do caminhão, que informou que a previsão é de que ele chegue ao local com as galinhas por volta das 7 horas desta quarta-feira (30).