Setor da construção pede mais um mês de tráfego livre para caminhões em SP

Geral

Setor da construção pede mais um mês de tráfego livre para caminhões em SP

Redação Folha Vitória

As principais associações da construção civil encaminharam, nesta quarta-feira, 30, uma carta ao prefeito de São Paulo, Bruno Covas, solicitando a extensão por 30 dias da suspensão à restrição de circulação de caminhões no município.

O documento é assinado pelos líderes do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP), do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) e da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).

Segundo as associações empresariais, a greve dos caminhoneiros levou à paralisação de praticamente todos os canteiros de obras no Estado de São Paulo por falta de insumos. Os prejuízos afetam a situação financeira de cerca de 15 mil empresas que empregam 650 mil pessoas na construção civil.

Uma vez normalizada a entrega de matérias-primas para a indústria de materiais de construção, a estimativa é que as fábricas só conseguirão reiniciar a produção plenamente ao longo da primeira quinzena de junho, enquanto a comercialização só deverá ser normalizada na segunda quinzena.

Dessa forma, os empresários que atuam nas obras argumentam que os canteiros precisarão receber os insumos o mais rapidamente possível ao longo do mês de junho para colocar em dia os cronogramas de todas as obras, tanto públicas quanto privadas.

Os líderes das associações também argumentam que a medida contribuirá para normalizar o fluxo da arrecadação tributária municipal sobre o setor, que também acabou prejudicada pelo movimento dos caminhoneiros.