• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Secretário de Saúde fala sobre possibilidade de construção de hospital de campanha e atualiza dados sobre covid-19 no Estado

CORONAVÍRUS

Geral

Secretário de Saúde fala sobre possibilidade de construção de hospital de campanha e atualiza dados sobre covid-19 no Estado

Nésio Fernandes também falou da situação dos leitos de UTI e da fila de testes de coronavírus no Laboratório Central do ES

Foto: Divulgação

Em entrevista coletiva, por videoconferência, na tarde desta segunda-feira (25), o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, acompanhado do subsecretário de vigilância em saúde, atualizou algumas informações sobre o enfrentamento a covid-19 no Espírito Santo. 

Logo no início, o secretário lamentou o número de casos e de mortes já registrados no Estado. De acordo com a atualização desta segunda-feira, 10.365 pessoas já foram infectadas pelo vírus e outras 465 morreram por conta da doença em todo o Espírito Santo.

"É um comportamento que demostra a força e o perigo da pandemia. A pandemia é o grande motivo que levou o desequilíbrio econômico do mundo e do País. Ela desorganizou o País e desorganizou o estado do Espirito Santo. Subestimar a pandemia é um erro", disse Nésio.

O secretário também informou que o Estado deve aumentar o número de leitos para o tratamento de pacientes com coronavírus. "Hoje devemos passar de 1.000 leitos de UTI para atendimento de pacientes com covid-19". E acrescentou que 60 ventiladores respiratórios chegaram da Itália para serem instalados nas unidades de terapia intensiva.

Nésio anunciou ainda que devem ser inaugurados leitos em hospitais da Grande Vitória e do interior do Estado e reforçou a necessidade do isolamento social, pois segundo ele, a covid-19 ainda é uma doença que não tem tratamento nem vacina específicos. Além disso, lembrou que a matriz de risco criada pela secretaria de saúde é fundamental neste momento de crise, para que os municípios saibam como atuar e enfrentar a doença.

Exames

O secretário garantiu que a fila de exames no laboratório Central do Estado (Lacen) deve ser zerada ainda nesta semana. Cerca de 2.600 amostras serão enviadas para o Paraná, onde serão analisadas.

Segundo Nésio, a partir desta quarta-feira (26), o Lacen vai garantir que o resultado saia em até 48 horas. Por dia, chegam 500 a 650 amostras.

SUS

O secretário também reforçou a preocupação sobre o Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo Nésio, 3 milhões de pessoas dependem da saúde pública.

Governador com covid-19

Com a confirmação de que Renato Casagrande, foi diagnosticado com coronavírus, Nésio disse que a pesar dele ter tido contato com ele na ´última sexta-feira, ele não apresentou nenhum sintoma. Ele garantiu que o governador está sendo monitorado.

Hospitais de Campanha

Questionado sobre a construção de um hospital de campanha no Espírito Santo, o secretário disse que há possibilidade de ocorrer no Noroeste do Estado, por conta da fragilidade do sistema de saúde, onde há poucos Pronto Atendimentos e UPAS. A decisão sobre a construção das unidades de campanha será tomada nos próximos dias.

Inquérito Sorológico

Durante a coletiva, Luiz Carlos Reblin lembrou que a partir desta quarta-feira (27) será feita uma nova etapa do Inquérito Sorológico e pediu para que as pessoas recebam os funcionários da saúde em suas casas para contribuir com a pesquisa, que deve durar três dias. "Tudo isso nos ajuda a construir uma fotografia do Espírito Santo para a passagem da doença", disse o subsecretário.

Dificuldade para comprar insumos

Nésio Fernandes também falou que o Estado está tendo dificuldades em conseguir medicamentos e insumos hospitalares no mercado. "Estamos ampliando a busca dos medicamentos utilizados na UTI e nos hospitais para garantir a oferta e o atendimento dos pacientes nos hospitais do Espírito Santo. Temos encontrado dificuldade. É um risco que não temos muita governabilidade sobre ele. Nós estamos buscando várias empresas e vários fornecedores para que essa falta de medicamentos não ocorra no Estado", disse.