• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Chega de sufoco! Noivos, aprendam a dar nó em gravata!

Geral

Chega de sufoco! Noivos, aprendam a dar nó em gravata!

César Saade, da Libanesa Homem, dá a dica: Não há mistério nisso. Basta ter prática!

Verdade seja dita, alguns homens fazem uma careta quando ouvem a palavra gravata. E quando chega a hora de dar o nó, então, aí o momento pode ficar crítico! Mas em muitas situações, ela é um acessório necessário e, se a ocasião for o casamento – dependendo do estilo da cerimônia -, ela se torna obrigatória para o noivo, pais e padrinhos.

César Saade, proprietário da Maison Libanesa Homem, traz um alívio para muitos homens ao contar que não há mistério na hora de ajeitar este que é um dos itens sinônimos de elegância masculina. O segredo, como em quase tudo na vida, está na prática. “A dificuldade está em manter a habilidade de fazer o nó. A prática é fundamental para não esquecer como se faz. Mesmo que o homem não use a gravata no seu dia a dia, ele deve fazer o nó para manter o saldo de práticas”, aconselha.

O nó da gravata

Basicamente, há três tipos de nós mais usados nas gravatas. Confira abaixo quais são, coloque-os em prática e boa sorte!

Windsor (Nó inglês) – Na opinião de Cesar Saade, é um dos estilos mais elegantes. Foi inventado por Eduardo VIII, o duque de Windsor, e combina melhor com colarinhos largos.

 

 

 

 

 

Half-Windsor (Nó francês) – Ideal para criar volume em gravatas finas, é conservador e combina com qualquer camisa.

 

 

 

 

 

Four in Hand (Nó escorregadio) – Cabe em qualquer colarinho, fácil de fazer e é ideal para homens altos e corpulentos.

 

 

 

 

 

Combinando a gravata

Um look bem elaborado é feito de vários componentes que combinem entre si. A gravata, por exemplo, deve ser usada com terno, camisa de manga comprida e sapato social para compor um visual mais adequado. Outra dica é que a gravata não precisa combinar com as cores da roupa. Mas caso o homem prefira assim, ela deve estar de acordo com a cor do terno, fazendo contraste com a cor da camisa.

Desmistificando a fama de vilã

Geralmente, a sensação de aperto no pescoço não é causada pelo nó da gravata, mas pelo colarinho que está mais apertado do que devia. Por isso, o homem deve ter mais atenção na escolha das camisas. Já sobre o tamanho, há um consenso de que esse é um detalhe que não pode passar despercebido. César Saade orienta que a ponta da gravata deve tocar ou, no máximo, cobrir a fivela do cinto quando o homem estiver de pé e relaxado. Abaixo ou acima disso pode comprometer totalmente o look masculino.

Serviço:

Libanesa Homem
Rua Aleixo Neto, 1.158, Praia do Canto, Vitória
(27) 3235-7994