Após 15 meses, militares do Exército e da Marinha deixam Complexo da Maré

Geral

Após 15 meses, militares do Exército e da Marinha deixam Complexo da Maré

Redação Folha Vitória

Rio - Nesta terça-feira, 30, militares do Exército e da Marinha que integravam a Força de Pacificação deixaram definitivamente o Complexo da Maré, na zona norte do Rio de Janeiro, dando fim a uma ocupação de 15 meses. Uma formatura no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) marcou a saída dos militares.

Os militares saíram das dez comunidades que ainda estavam sob responsabilidade das Forças Armadas, todas dominadas pela facção criminosa Terceiro Comando Puro (TCP). Todo o complexo já está ocupado pela PM, com um efetivo de apenas 400 policiais, 13% do grupamento de 3 mil militares que atuaram até esta terça-feira.

Em entrevista durante a solenidade que marcou o fim da Operação São Francisco, como foi batizada a ação do Ministério da Defesa na Maré, o secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, demonstrou pessimismo com a possibilidade de o complexo vir a ser pacificado em pouco tempo. "São pessoas que não estão dispostas a entregar seus locais, mas o Estado tem que mostrar que é mais forte. Dizer que você vai acabar com o Comando Vermelho, com outras facções, isso é muito difícil. Mas temos informações de que essas facções estão muito combalidas com essas ações."

A PM informou que manterá 21 pontos fixos de patrulhamento no complexo. As vias expressas próximas às favelas - Avenida Brasil, Linha Amarela e Linha Vermelha - têm o policiamento intensificado. Até o primeiro trimestre de 2016, a Maré deverá receber quatro Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), já com bases fixas e não em contêineres, como foi feito nas 38 unidades já implantadas na região metropolitana. Ao todo, 1.620 PMs atuarão na Maré.