• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cigarros ou faísca podem ter causado incêndio que queimou 500 pessoas em Taiwan

Geral

Cigarros ou faísca podem ter causado incêndio que queimou 500 pessoas em Taiwan

Taipei, Taiwan - A ponta de cigarro ou uma faísca podem ter causado o incêndio que queimou 498 pessoas que estavam em uma festa em um parque aquático neste fim de semana em Taipei, em Taiwan. Segundo funcionários, o fogo começou depois que um pó colorido que estava sendo lançado sobre a multidão se inflamou.

Mais de 400 pessoas permanecem internadas, incluindo 202 em estado grave, de acordo com autoridades da cidade. A Agência Central de Notícias de Taiwan relatou a morte de uma mulher de 20 anos que teve queimaduras em 90% do seu corpo. Seu irmão, de 12 anos, também teve queimaduras em 90% do corpo.

A polícia fez acusações criminais contra o organizador da festa de sábado, bem como dois técnicos do parque Formosa Fun Coast, no subúrbio de Taipei.

"Ainda não está claro o que aconteceu, mas havia um grande número de pessoas fumantes e o clima estava quente", disse o chefe de imprensa da cidade Nova Taipei. Temperaturas em torno de Taipei superaram os 36ºC antes da festa.

As três toneladas de pó colorido à base de amido foram comprados pelos organizadores de Tai Won, um vendedor no condado sul da ilha de Yunlin, e eram inflamáveis, disse o chefe.

Segundo o fornecedor, eles não sabiam para que o pó seria usado e nem a quantidade que seria usada. "Poderia ser suprimentos para um ano inteiro", disse o porta-voz da empresa.

No domingo, o primeiro-ministro de Taiwan, Mao Chi-kuo, proibiu o uso do pó nos próximos eventos privados. O pó colorido muitas vezes é jogado em foliões durante as celebrações anuais de Holi, um festival Hindu, na Índia e no Nepal. O parque aquático foi condenado a fechar depois do incêndio.

O organizador do evento, Lu Chung-chi, chegou a ser preso, mas foi liberado depois de pagar fiança no valor de US$ 32 mil e ser proibido de sair da ilha, disse um porta-voz da polícia. Fonte: Associated Press.