Líderes da cidade de Charleston pedem remoção da bandeira da Confederação

Geral

Líderes da cidade de Charleston pedem remoção da bandeira da Confederação

Redação Folha Vitória

Charleston, Carolina do Sul - Um grupo de líderes políticos e religiosos da região de Charleston, na Carolina do Sul (EUA), pediram nesta segunda-feira para que os legisladores estaduais votem nesta semana para a remoção da bandeira da Confederação, polêmico símbolo do sul escravagista dos Estados Unidos, cinco dias depois do assassinato de nove negros em uma igreja Metodista de Charleston, por um jovem branco.

Autoridades, incluindo o prefeito de Charleston, Joseph P. Riley, e o senador Marlon Kimpson, do Norte de Charleston, exortaram para que os legisladores permaneçam em sessão e votem o quanto antes nesta terça-feira para derrubar a bandeira que está em frente a Assembleia Legislativa de Columbia, capital da Carolina do Sul.

O reverendo Nelson Rios III, da Rede de Ação Nacional, disse que a bandeira deve ser removida antes que o corpo do pastor e senador Clementa Pinckney chegue na Assembleia Legislativa na quarta-feira. Pinckney e oito outros membros da igreja foram mortos a tiros na semana passada enquanto estudavam a Bíblia na Igreja Africana Metodista Episcopal de Emanuel.

O atirador de Charleston, o jovem branco Dylann Roof, tinha um blog abertamente racista, que exibe dezenas de fotos do suspeito com armas, queimando a bandeira norte-americana, exibindo a bandeira da Confederação e justificando o crime por seu ódio contra os negros. Fonte: Associated Press.