Oito pessoas são flagradas no ES atuando de maneira ilegal na área de Educação Física

Geral

Oito pessoas são flagradas no ES atuando de maneira ilegal na área de Educação Física

Foram realizadas 44 fiscalizações pelo Conselho Regional de Educação Física em todo o Estado, no mês passado, que também flagraram 17 irregularidades em empresas

Dois casos de exercício ilegal da profissão ocorreram na área de musculação Foto: Divulgação

Oito pessoas foram flagradas exercendo, de maneira ilegal, a profissão de educador físico, durante o mês passado, no Espírito Santo. Além disso, o Conselho Regional de Educação Física (CREF1) flagrou outras 17 irregularidades em empresas que funcionam no Estado. Ao todo, foram realizadas 44 fiscalizações em todo o Espírito Santo.

Os casos de exercício ilegal da profissão foram registrados em Terra Vermelha, Vila Velha; Parque Residencial Laranjeiras, na Serra; Vera Cruz, Cariacica, onde foram registrados dois casos; na zona rural de São Gabriel da Palha, onde também foram constatados dois casos; Praia do Morro , em Guarapari; e Bela Vista, também em Guarapari. Um dos profissionais flagrados em São Gabriel da Palha e outro em Guarapari chegaram a ser encaminhados para as delegacias regionais de seus municípios.

Ainda de acordo com o CREF1, dos exercícios ilegais flagrados, dois ocorreram na área de musculação, um em futebol, um em Personal Trainer, um em Zumba, um em Fit Dance, um em Circuito e um em Tênis. Nas diligências também foram constatadas dez empresas sem registro e sem responsável técnico nomeado no Conselho; três salas desprovida de profissional de Educação Física e quatros profissionais atuando fora da área de habilitação.

Todos os casos de exercício ilegal serão encaminhados ao Ministério Público. Já as empresas notificadas serão convocadas a prestar esclarecimentos no Departamento Jurídico do Conselho e regularizar a situação. 

De acordo com a supervisora do CREF1 no Espírito Santo, Suellen Torres, pessoas que são orientadas, em suas atividades físicas, por profissionais não habilitados em Educação Física estão expostas a uma série de riscos.

"É a mesma coisa que você ir ao médico e não ser atendido por um médico. Somente o profissional de Educação Física está capacitado a orientar de maneira adequada a prática de exercício físico. Se a pessoa não tiver esse acompanhamento, pode sofrer lesões temporárias e até permanentes. E caso essa pessoas seja diabética ou cardiopata, pode ter seu quadro agravado e até vir a óbito", alertou.

Para denunciar a prática ilegal da Educação Física, basta acessar o site do Conselho Regional de Educação Física, pelo endereço cref1.org.br, ou entrar em contato pelo telefone (27) 3227-1622.