Cachoeiro de Itapemirim terá primeiro coworking público no segundo semestre

Geral

Cachoeiro de Itapemirim terá primeiro coworking público no segundo semestre

O projeto é baseado na lei de escritórios compartilhados e deve funcionar na região central

Em vigor desde setembro, a lei que autoriza em Cachoeiro a instalação dos escritórios compartilhados ganhará, no próximo semestre, sua primeira aplicação de iniciativa pública. É que acaba de ser concluído o edital de chamamento para cadastro das empresas interessadas em atuar na sala de coworking coordenada pela prefeitura. A publicação ocorre nas próximas semanas.

O local a ser escolhido ficará na região central da cidade e, em um primeiro momento, abrigará poucas empresas. “Trata-se do projeto-piloto, e quatro iniciativas vão participar, seja de microempresa ou micro empreendedor individual (MEI). Queremos que o local reúna negócios de diferentes naturezas, para promover o intercâmbio econômico e o estímulo à inovação”, explica o secretário de Desenvolvimento Econômico, Felipe Macedo.

A partir da lei, a cidade passou a contar com os requisitos legais para instalação desses espaços. A intenção da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (Semdec) é viabilizar a formalização desses empreendimentos, com foco naqueles sem sede, que atuam em residências, por exemplo.

Os técnicos da Semdec se baseiam em experiências de vários países com o sistema de coworking. Atualmente, buscam parcerias com universidades, com o sistema Findes e empresas para viabilizar mentorias que vão preparar os interessados para atuar em conjunto no escritório.

Nessas áreas, os empreendedores teriam ainda suporte administrativo, mas não é permitido manter ali produtos, maquinários ou equipamentos sem relação com as atividades. Estão previstos área para recepção de pessoas, reuniões, recebimento e armazenagem de pequenas encomendas e serviço de atendimento telefônico.