• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Equipe da presidência da Argentina é resgatada em área montanhosa

Geral

Equipe da presidência da Argentina é resgatada em área montanhosa

Serviços de emergência resgataram neste sábado treze pessoas de um grupo que incluía parte da equipe presidencial da Argentina. As pessoas ficaram presas em uma área de alta montanha após o helicóptero em que eles estavam viajando realizar um pouso de emergência.

"Sabíamos que seria difícil, a noite estava muito fria e tínhamos pouca gasolina para aquecimento", disse Ivan Pavlovsky, porta-voz do governo, ao chegar em Buenos Aires. Ele é um dos sete membros da comitiva presidencial que ficaram presos em uma área onde foram registradas temperaturas abaixo de zero, queda de neve e ventos fortes.

Os treze resgatados estão com boa saúde, segundo exames médicos feitos no sábado à tarde.

O helicóptero, pilotado por um membro da Força Aérea Argentina, tentou duas vezes aterrissar na tarde de sexta-feira no Rio Hondo, que fica 1,15 mil quilômetros ao

norte de Buenos Aires. O pouso não foi possível devido ao perigo de congelamento de partes vitais da aeronave, indicou a presidência em um comunicado.

Diante da possibilidade de ficar sem combustível, o piloto procurou por uma área

liberada para pousar e fez isso em Catamarca, uma região de montanha quase 3,5 mil metros acima do nível do mar.

A equipe acompanhava o presidente argentino Mauricio Macri para atividades planejadas nas províncias do noroeste da Argentina, em Salta e Santiago del Estero.

Pavlovsky disse que a situação foi agravada pela "falta de comida e água", bem como o fato de que os membros do grupo não tinham roupas adequadas para o clima. As malas da equipe estavam sendo transportadas no voo presidencial.

Entre os que viajaram na aeronave, além do porta-voz, estava o chefe de Estado de custódia, Alejandro Cecatti, de acordo com o comunicado presidencial. Também viajavam o secretário particular do Poder Executivo, Mariano Lomolino, e o responsável pelas redes sociais de Macri, Isidro Escalante. Fonte: Associated Press.