• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Saiba como um projeto social é capaz de mudar a vida de jovens do ES

TRANSFORMAÇÃO

  • COMPARTILHE
Geral

Saiba como um projeto social é capaz de mudar a vida de jovens do ES

O Centro Social São José de Calasanz, na Serra, é um dos agentes de transformação de vida de jovens moradores de regiões de vulnerabilidade social

O projeto Culturarte Calasanz promove aulas de capoeira em Vila Nova de Colares, na Serra 

A vulnerabilidade à violência é um fator que coloca em risco o futuro de jovens do Espírito Santo. Contudo, projetos sociais têm desempenhado papel fundamental na transformação de vida dessa parcela da população em situação de risco, que residem em 26 bairros de nove cidades do Espírito Santo, que concentram o maior número de homicídios.

O Centro Social São José de Calasanz, em Vila Nova de Colares, na Serra, é um dos agentes de transformação de vida desses jovens. O projeto integra formação, espiritualidade, cidadania, cultura, artes e ludicidade para estimular os jovens a desenvolver seu papel como protagonista na sociedade, através do fortalecimento de seus vínculos familiares, escolares, comunitários e sociais.

Uma das ações do centro social é o projeto Culturarte Calasanz, que visa formações artística e cultural dos adolescentes e jovens atendidos, envolvendo capoeira, break-dance e grafite. Ao todo, mais de 200 crianças, de cinco bairros da Serra, participam das atividades que são desenvolvidas no contraturno escolar.

O grupo de capoeira do Mestre Cebola tem quase três décadas de dedicação ao esporte. Só em Vila Nova de Colares, são sete anos de trabalho e muitas vidas transformadas. Tem esse papel. Essa magia misteriosa de juntar pessoas. E eu, com a capoeira, procuro fazer isso aqui em Vila Nova de Colares, no bairro Feu Rosa também...", comenta Cebola.

Fernanda Amorim é administradora do projeto. Ela comenta que os trabalhos são importantes para tirar crianças das ruas. "Muitos meninos chegam aqui com enfrentamento. Na vida, eles passam por isso e chegam com essa bagagem de luta, guerra, briga... E, na medida em que eles vão passando por essas oficinas, pelos educadores, eles vão tendo essa transformação. E quando chega no final do ano, a gente percebe melhora na escola, nos relacionamentos, comportamento... Os pais nos dão esse feedback, que para nós, é uma vitória", revela Fernanda.

Para ajudar programas como o Calasanz, o Ocupação Social vai contemplar, mais uma vez, editais da cultura. Os prêmios variam de R$ 10 mil até R$ 40 mil reais. Um evento realizado no Palácio da Cultura, no Centro de Vitória, marcou a abertura dos editais. O secretário de Estado de Direitos Humanos, Leonardo Oggioni, acredita que a oportunidade traz melhorias para as comunidades.

"O Estado do Espírito Santo está fazendo investimento de mais de R$ 3 milhões no fomento da arte e da cultura. Isso, sem dúvida, vem a calhar com o programa Ocupação Social, porque a educação é importante, a qualificação é importante, mas o fomento da arte e da cultura, sem dúvida nenhuma, traz uma qualificação ao projeto", diz o secretário.

Quem espera uma nova chance, já está de olho no lançamento dos editais. "Com certeza, a gente já está se preparando para se inscrever no edital e pleitear esse recurso para que a gente continue atendendo a esses jovens que precisam muito", fala Fernanda.

As inscrições podem ser feitas a partir desta sexta-feira (21). O edital e outras informações podem ser conferidas no site da Secretaria de Estado da Cultura

Veja o vídeo: