Indiano em hotel de Vitória é diagnosticado com variante brasileira P1 do coronavírus

Geral

Indiano em hotel de Vitória é diagnosticado com variante brasileira P1 do coronavírus

Descartada a presença da variante indiana no Espírito Santo, a quarentena no hotel de Vitória, fechado desde a última semana, foi encerrada

Foto: Nathália Munhão/TV Vitória

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) descartou a presença da variante indiana no Espírito Santo. Em pronunciamento na tarde desta terça-feira (1), o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, afirmou que o indiano que testou positivo para a covid-19 foi diagnosticado com a variante P1. Diante disso, a quarentena no hotel de Vitória, fechado desde a última sexta (28), foi encerrada. 

"Foi rastreado um caso positivo do coronavírus e a investigação da cepa constatou a presença da variante P1, a variante brasileira que foi identificada primeiramente no Amazonas. Está descartada, deste modo, a importação da variante indiana no Espírito Santo", disse o secretário. 

Leia também: Variante indiana: falta de controle nos aeroportos e portos permitiu a entrada de infectados com a covid-19 no ES

O hotel, localizado em Camburi, foi fechado na manhã da última sexta-feira (28), após três indianos que estavam hospedados no local serem isolados com suspeita de covid-19. O que testou positivo, já chegou ao hotel com sintomas fortes da doença, como febre e coriza.

O grupo de indianos, composto por um comandante e dois marinheiros, chegou ao Espírito Santo num voo vindo de São Paulo. Eles levariam um navio atracado no litoral capixaba para a Índia.  

Durante o pronunciamento, o secretário afirmou que 92 pessoas - entre hóspedes e funcionários - foram testadas. Além disso, os demais casos investigados a partir de notificações da Anvisa também foram descartados e, até o presente momento, não há casos importados da variante indiana no Estado.  

"Foi determinada uma quarentena compulsória no hotel para investigação de caso suspeito da variante indiana. Os demais casos, investigados a partir das notificações da Anvisa, também foram descartados para infecção de covid-19, de modo que, diante das investigações realizadas até o presente momento, o Espírito Santo não apresenta casos importados da variante indiana e casos de transmissão local", explicou o secretário. 

Diante da suspeita da variante indiana, segundo Nésio, foi possível estabelecer uma ruptura oportuna da cadeia de transmissão, de modo que, caso fosse confirmada, ela não se disseminasse dentro da unidade hoteleira. Segundo ele, quem testou positivo para a covid-19, como é o caso do indiano, deverá manter a quarentena. 

Chegada de vacinas
O secretário anunciou também a chegada de novas doses de vacina contra a covid-19, que deve ocorrer nas próximas 48 horas. Segundo o secretário, serão enviadas para o Estado 12.870 doses da Pfizer e 123 mil da AstraZeneca. 

Segundo Nésio, as doses da vacina da Pfizer, que antes estavam sendo distribuídas apenas em Vitória, estão sendo encaminhadas também para outros municípios. A aplicação do imunizante estava restrita à Capital devido às restrições de armazenamento impostas pelo fabricante.

"Iniciamos a distribuição da Pfizer para todas as cidades. A utilização dela nas geladeiras científicas foi ampliada para até mais de um mês pela própria Anvisa. Já estávamos preparados e agora passamos a fazer a distribuição quando a vacina chegar para nós, na quantidade de maneira per capita", explicou. 

Testes em terminais e vigilância no aeroporto
"Neste momento, o Espírito Santo tem condições de dar passos mais ousados na testagem em terminais, como já anunciado em coletivas anteriores e pelo governador Renato Casagrande. Estamos preparando condições para poder também iniciar uma vigilância, em parceria com a Anvisa, no Aeroporto de Vitória, e entendemos que, neste momento, a ampla disponibilidade de testes irá incrementar a capacidade do Estado de fazer a gestão adequada da crise que vivemos", afirmou o secretário. 

Estabilização no Estado
Durante o pronunciamento, o secretário destacou também que o Espírito Santo  vive uma estabilização da incidência de novos casos da covid-19, mas o momento ainda é de alerta até o final de junho. 

"Estamos mantendo também uma estabilização da internação hospitalar, dos pacientes internados em UTI. Retomamos tendência de queda de internações em enfermarias e mantemos a tendência de queda no número de óbitos. Compreendemos que os casos observados também estão alcançando um estágio de estabilidade", disse o secretário.