MPES notifica secretário Nésio Fernandes para que não antecipe vacinação da Astrazeneca no ES

Política

MPES notifica secretário Nésio Fernandes para que não antecipe vacinação da Astrazeneca no ES

A Notificação Recomendatória pede que o secretário estadual de Saúde siga o Plano Nacional de Imunização e respeite o intervalo de 12 semanas

Foto: Divulgação

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES) notificou o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes. A Notificação Recomendatória pede que ele não oriente os gestores municipais de saúde a anteciparem a segunda dose da vacina AstraZeneca/Fiocruz. 

Vários municípios abriram agendamentos na última semana após a Sesa liberar a aplicação da vacina para pessoas que completaram 70 dias ou mais da primeira dose, podendo receber o imunizante antes do prazo de 90 dias. 

Mas o MPES quer que a Sesa respeite o prazo de 12 semanas, entre a D1 e D2, para completar o esquema de vacinação dos já vacinados com a 1ª dose. 

Leia mais: Grande Vitória abre agendamento para antecipar segunda dose da AstraZeneca

O subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, disse em coletiva de imprensa, nesta segunda-feira (28), que o adiantamento da aplicação da segunda dose contribui para a criação da imunidade da população.

"Estamos lembrando que antecipamos a vacinação da AstraZeneca porque as doses já estavam aqui. Não havia sentido, já que a indicação se enquadra dentro do prazo de aplicação. Não tem muito sentido guardar as doses que vão ser aplicadas nessas pessoas", defendeu Reblin.

Além do secretário de Saúde, a presidente do Colegiado das Secretarias Municipais de Saúde do Espírito Santo, Cátia Cristina Vieira Lisboa, também recebeu a notificação.

Veja aqui o documento

O MPES recomendou ainda que os gestores municipais sigam as orientações técnicas do Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a covid-19.

Em nota, o MPES escreveu que a antecipação pode aumentar o número de pessoas no sistema tentando agendamento, o que pode prejudicar, atrasando, a vacinação dos cidadãos com o prazo de 12 semanas já completos para o recebimento da segunda dose.