Sessões eleitorais vão virar pontos de vacinação em 'Dia D' contra a covid-19 em Viana

Geral

Sessões eleitorais vão virar pontos de vacinação em 'Dia D' contra a covid-19 em Viana

'Dia D' vai ser no dia 13 de junho e agendamento será aberto no dia 6 de junho; vacinação faz parte de ensaio clínico inédito articulado entre Ministério da Saúde, Opas, Fiocruz e pesquisadores do Hucam

Foto: Divulgação / Prefeitura de Viana

Todos os moradores de Viana entre 18 e 49 anos serão vacinados contra a covid-19 em dia 'Dia D' de vacinação no dia 13 de junho. O anúncio foi feito na tarde desta quarta-feira pelo governador Renato Casagrande e faz parte do projeto Viana Vacinada.

A ideia é vacinar pouco mais de 35 mil pessoas que fazem parte desse público alvo. O projeto é voluntário e quem não quiser participar pode esperar e continuar seguindo o cronograma nacional de imunização. Quem participar deverá assinar um Termo de Consentimento antes de receber a primeira dose da vacina.

A vacinação vai acontecer das 8h às 17h. Pessoas que moram e votam em Viana vão poder agendar a vacinação. Quem mora no município, mas não vota vai ter que apresentar documento com foto e comprovante de residência. No domingo o portal vai ser apresentado e mais informações serão dadas. 

A base de dados da Justiça Eleitoral foi utilizada para que um levantamento fosse feito da quantidade de pessoas por sessão eleitoral. 

Agendamento neste domingo

O agendamento para a vacinação será online pelo site  www.vianavacinada.saude.es.gov.br e será aberto no dia 6 de junho. Segundo a secretária municipal de Saúde de Viana, Jaqueline D'oliveira Jubini, uma coletiva será feita no próprio dia 6 para dar mais detalhes. 

Meia dose de Astrazeneca

De acordo com a coordenadora do projeto científico, a médica Valéria Valim, os moradores que ainda não tenham recebido nenhuma dose de vacina para covid-19 receberão duas doses, com intervalo de 12 semanas entre elas, de metade da dose padrão (0,25mL).

A professora Valéria Valim, coordenadora do projeto apresentou que a estratégia de utilizar uma dose ajustada da vacina já foi feita anteriormente em outros casos, como por exemplo na vacina contra a febre amarela. 

“A população será acompanhada por um ano para observar a efetividade da vacina produzida pela Fiocruz. Queremos observar, por exemplo, a redução de casos e de mortes por covid-19 após a imunização. Baseado em estudos preliminares, esperamos que vacina em dose ajustada, ou seja, metade da dose padrão, seja suficiente para produzir anticorpos e células de defesa e reduzir 60% da incidência de covid-19, ao longo de seis meses após a vacinação”, explicou Valéria Valim.

Ainda segundo a coordenadora, será observada a efetividade vacinal por redução do número de casos, número de mortes, número de internações hospitalares e do número de internações em unidades de terapia intensiva. Também será estudada a resposta imune com duas meias doses contra variantes do vírus, bem como a segurança por monitoramento dos eventos adversos pós-vacinação.