Número de casos de dengue cai 74% no Espírito Santo

Geral

Número de casos de dengue cai 74% no Espírito Santo

Os números foram divulgados pela Secretaria de Saúde do Estado nesta quinta-feira (24). Mesmo com a queda, ainda é necessário ficar atento ao combate ao mosquito

A dengue é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti infectado Foto: Divulgação

O número de casos de dengue no Estado sofreu uma queda de 74%, de acordo com a Secretaria de Saúde do Espírito Santo (Sesa). Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (24). Em uma comparação semestral, feita pela Sesa, são 73.279 notificações de janeiro a junho de 2013 contra 18.776 no mesmo período deste ano. 

Os dados, obtidos das primeiras 27 semanas epidemiológicas, reforçam a tendência cíclica da doença no Espírito Santo e a importância das ações de prevenção neste momento. Desde que passou a ser registrado por aqui na década de 90, o número de casos apresentou variações. 

“Quando é maior em um ano, no outro diminui, geralmente. Em 2013 atingimos o recorde de 81.892 notificações, portanto, esperávamos que elas fossem menores em 2014”, afirma a coordenadora da Vigilância em Saúde do Estado, Gilsa Rodrigues. 

Mas isso não quer dizer que a população deve relaxar no combate ao mosquito. “O fato de termos um menor número agora nos permite atentar para a prevenção antes da chegada do verão, que reúne calor, umidade e chuva, condições propícias para o aparecimento da dengue”, destaca Gilsa.

De acordo com a coordenadora, apesar do menor número de casos neste ano, foi observado uma gravidade importante. “São internações de pacientes graves e com ocorrência de óbitos. Isto reforça que mesmo surtos ou epidemias menores causam grande impacto, o que demanda de todos ações de prevenção de forma ininterrupta durante todo o ano”, explica.

A orientação é escolher um dia da semana fixo para fazer vistoria em casa ou no apartamento atrás de objetos que armazenam água, impedindo o ciclo de reprodução do mosquito. “O Aedes aegypti leva cerca de nove dias para se desenvolver do ovo à fase adulta. Não podemos ficar de braços cruzados, 10 minutos é o tempo que precisamos para fazer essa vistoria”, completa. 

Mais dicas

- Limpar o quintal, jogando fora o que não é utilizado;
- Tirar água dos vasos de plantas;
- Colocar garrafas vazias de cabeça para baixo;
- Tampar tonéis, depósitos de água, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que possa reservar água;
- Manter os quintais bem varridos, eliminando recipientes que possam acumular água, como tampinha de garrafa, folhas, sacolas plásticas, etc.;
- Escovar bem as bordas dos recipientes (vasilha de água e comida de animais, vasos de plantas, tonéis, caixas d’água) e mantê-los sempre limpos.