Lâmpadas de LED podem durar até 25 mil horas de uso. Veja cinco motivos para usá-las!

Geral

Lâmpadas de LED podem durar até 25 mil horas de uso. Veja cinco motivos para usá-las!

De acordo com os estudantes, a lâmpada de LED é mais econômica no longo prazo porque sua eficiência luminosa é maior do que a lâmpada fluorescente compacta

Foto: Divulgação

Os consumidores que querem economizar na conta de energia elétrica têm um incentivo a mais para trocarem as lâmpadas fluorescentes pelas lâmpadas de LED. Alunos da Faculdade Doctum de Vitória realizaram um comparativo custo-benefício entre as lâmpadas e as de LED prometem “aliviar o bolso” na hora de pagar as contas.

Economia

A primeira vantagem, de acordo com os alunos, que fazem parte do projeto Vigilantes dos Preços, e a mais importante delas é a economia. A hipótese considerada foi de dez lâmpadas ligadas, no período de dez horas por dia, durante um ano. Nesta etapa, lâmpadas de LED de 6 watts foram comparadas com as do tipo fluorescente de 11 watts. A economia foi de R$ 79,80 em um ano de consumo.

Na comparação entre as lâmpadas de LED de 9 watts com as do tipo fluorescente de 15 watts, os resultados também foram favoráveis para as lâmpadas de LED, em R$ 96,80, em um ano. De acordo com os estudantes, a lâmpada de LED é mais econômica no longo prazo porque sua eficiência luminosa é maior do que a lâmpada fluorescente compacta. Ou seja, gasta menos energia para gerar a mesma iluminação.

Vida útil

A vida útil dos equipamentos também foi estudada, e as lâmpadas de LED podem durar até quatro vezes mais, entre 20 e 25 mil horas, que as fluorescentes que duram no máximo oito mil horas de uso.

Garantia e autovolt

Em relação à garantia dos produtos, a das lâmpadas de LED é mais longa do que as das lâmpadas fluorescentes podendo chegar até três anos. Outro benefício é que a maioria dos modelos de lâmpadas de LED é “autovolt”, isto é, possuem adaptação automática à tensão elétrica a qual for exposta, normalmente, entre 100 e 240 volts.

Sustentabilidade

No que se refere a saúde, o estudo revelou que LED gera menor risco para a saúde dos consumidores e para o meio ambiente, pois não contêm mercúrio na sua constituição. Podem, inclusive, ser destinadas para reciclagem. Elas não emitem radiação ultravioleta e infravermelha (sendo mais confortável para os olhos) e são mais difíceis de quebrar, pois o bulbo é de plástico.