Professor de Cachoeiro vence concurso e desenho vira selo da Olimpíada 2016

Geral

Professor de Cachoeiro vence concurso e desenho vira selo da Olimpíada 2016

O concurso, lançado pelos Correio e o Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016, teve como tema criativo: ‘O que mais te inspira no espírito Olímpico e Paralímpico’

O professor Girlan Quidute teve o desenho selecionado no concurso Foto: ​Divulgação

Após ter recebido a Tocha Olímpica, símbolo maior das Olimpíadas do Rio 2016, Cachoeiro de Itapemirim está mais uma vez na rota do evento. O professor de inglês, Girlan Quidute de Oliveira, de 35 anos, foi um dos selecionados do concurso cultural de selos postais, promovido pelos Correio e o Comitê Organizador dos Jogos, realizado através de um aplicativo.

“Estava interessado em saber notícias e informações sobre as Olimpíadas e comecei a pesquisar. Encontrei um aplicativo e baixei e lá fiquei sabendo do concurso de desenho. Sou professor de inglês, gosto de arte e dou aulas, dentro da matéria, sobre artes lúdicas. Trabalho com os alunos sobre formas geométricas, cores e objetos. Desenvolvi o trabalho e mandei fazer, mas eu não nunca tinha feito. Foi um projeto que saiu sem querer e resolvi desenhar para o concurso”, explica o professor.

O desenho selecionado virou selo postal Foto: ​Divulgação

Ele disse que fez por fazer e não acreditava que seria selecionado. “Com o tema, logo associei Olimpíada e Paraolimpíada, que é igual a inclusão social. Com as formas geométrica desenhei uma bicicleta que lembra uma cadeira de rodas. São desenhos abstratos. Muito tempo se passou e já tinha imaginado que não tinha sido selecionado. Eis que na semana passada, recebi um e-mail do Comitê avisando que fui selecionado. No início, nem acreditei. Mas, depois recebi uma ligação dos Correios, me parabenizando pelo desenho”, ressalta.

Girlan trabalhou durante muitos anos como encarregado de departamento pessoal, e desde 2012, dá aulas. A arte sempre esteve presente em sua vida, mas não como trabalho ou fonte de renda, e sim por distração e diversão. “Gostei muito de ser selecionado. Tem sido uma prova para mim mesmo de que posso seguir desenhando. As aulas são essenciais, são minha forma de sobrevivência, mas nunca abandonei a arte”, comenta.

O professor não irá às Olimpíadas, mas disse que já está feliz em fazer parte dos Jogos. “Pretendia ir, pelo menos na abertura, mas não vai dar. Pretendo continuar pintados nas horas vagas. Até ganhei umas telas de minha esposa e vou seguir aproveitar o tempo. Meus amigos dizem que tenho traços do Picasso, mas não conheço a fundo o trabalho dele. Estou feliz e não quero parar”, completa Girlan.