• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Familiares de crianças assassinadas no ES fazem passeata contra abuso infantil em Camburi

  • COMPARTILHE
Geral

Familiares de crianças assassinadas no ES fazem passeata contra abuso infantil em Camburi

O ato seria para lembrar o aniversário de Thayná, que completaria 13 anos nesta segunda, mas reuniu familiares de outras crianças que também foram vítimas

Thaiz Blunck

Redação Folha Vitória

Amigos e familiares de crianças que sofreram abuso sexual e foram assassinadas no Espírito Santo, se reuniram em uma passeata na manhã deste domingo (29) na Praia de Camburi, Vitória. A princípio, o ato seria para lembrar o aniversário de Thayná Andressa de Jesus, que completaria 13 anos nesta segunda (30),  mas acabou reunindo familiares de outras crianças que também foram vítimas. 

"Amanhã era o aniversário da Thayná e nós íamos fazer uma caminhada para lembrar, então a família do Kauã e da Isadora se juntaram a nós.  A gente foi pedir para que mudem as leis, para que tenham leis mais severas e muita gente esteve presente. A importância disso tudo é pedir proteção para as crianças porque hoje eles estão presos, mas quando saírem, vão sair ainda mais cruéis e não podemos permitir isso. Eles fazem isso acreditando na impunidade, então isso tem que mudar", desabafou Clemilda Aparecida, mãe da menina Thayná. 

A avó paterna do menino Kauã, Marlúcia Aparecida Butkovsky, também esteve na passeata e destacou que se uniu à Clemilda por entender que se trata de uma luta de todos.

"Nós nos unimos a ela para fazer uma passeata porque é uma luta por uma causa só, então tem sido uma coisa muito boa porque estamos somando pessoas que querem os mesmos objetivos que a gente. Nossa passeata tem sido para mostrar que a gente quer mudança na lei, para que eles não fiquem impunes e que realmente fiquem presos, mas presos por muito tempo. No caso do Georgeval, por exemplo, pela lei brasileira ele estará solto daqui a pouco. Mas pessoas que comem crimes com crianças precisam cumprir a pena inteira, não pode ser assim", destacou.