• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Macron enfrenta crise na França após vídeo mostrar má conduta de assessor

Geral

Macron enfrenta crise na França após vídeo mostrar má conduta de assessor

Autoridades francesas abriram uma investigação judicial neste domingo sobre o espancamento de um manifestante em maio por um dos principais assessores de segurança do presidente da França, Emmanuel Macron, um incidente que foi capturado por uma câmera e provocou a primeira grande crise política no mandato de Mácron.

O gabinete do procurador-geral de Paris disse que o assessor presidencial Alexandre Benalla e outros quatro compareceram perante um juiz no domingo e que as acusações poderiam ser apresentadas em breve. Benalla enfrenta possíveis acusações de violência por parte de um funcionário público, uso ilegal de vídeo de vigilância e imitação de um policial. O jornal francês Le Monde divulgou o vídeo pela primeira vez na quarta-feira, o qual mostra Benalla, que lidou com a segurança da campanha de Mácron e permaneceu próximo a ele depois da eleição, usando um capacete da polícia em uma manifestação de 1º de maio, onde ocorreu a agressão.

Cercado pela polícia, Benalla arrastou uma mulher da multidão e depois bateu repetidamente em um jovem manifestante no chão. O homem foi ouvido implorando ao assessor presidencial para parar a agressão. Policiais não intervieram. Benalla foi demitido na sexta-feira pelo palácio presidencial e os investigadores fizeram busca e apreensão em sua casa no sábado. No entanto, o gabinete de Macron tem sido fortemente criticado devido ao incidente. Macron assumiu a presidência no ano passado em meio a promessas de restaurar a integridade e a transparência.

Parlamentares criticaram o fato de que, inicialmente, Benalla havia recebido apenas uma suspensão de duas semanas e ainda tinha um escritório no palácio presidencial dois meses após o espancamento ter sido denunciado a autoridades judiciais. A suspeita de um possível encobrimento surgiu sobre o que pareciam ser respostas inconsistentes do escritório de Macron. Na semana passada, ele afirmou que, desde maio, Benalla trabalhava em um papel administrativo, e não na área de segurança, mas Benalla foi fotografado ao lado do presidente como seu guarda-costas durante o feriado do Dia da Bastilha.

Os adversários políticos de Macron aproveitaram a oportunidade para fazer críticas ao presidente. O líder do partido Les Republicans, Laurent Wauquiez, disse que o governo estava "tentando esconder uma questão de Estado". Já a líder da extrema-direita, Marine Le Pen, comentou que, "se Macron não se explicar, o caso Benalla se tornara o caso Macron". O presidente tem permanecido em silêncio sobre o comportamento capturado no vídeo, mas legisladores planejam questionar o ministro do Interior, Gerard Collomb, esta semana, enquanto o governo enfrenta críticas crescetes sobre como disciplinou Benalla inicialmente. Fonte: Associated Press.