• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Ministério Público do Trabalho inicia investigação para apurar mortes no porto de Aracruz

Geral

Ministério Público do Trabalho inicia investigação para apurar mortes no porto de Aracruz

Três trabalhadores portuários morreram e um precisou ser hospitalizado. Suspeita é de que as vítimas tenham inalado um gás tóxico

Trabalhadores morreram em um acidente ocorrido dentro de um navio atracado no porto de Aracruz

O Ministério Público do Trabalho no Espírito Santo (MPT/ES) instaurou procedimento de investigação para apurar as causas do acidente ocorrido no final da manhã desta terça-feira (24), que matou três trabalhadores portuários avulsos, no Portocel, em Barra do Riacho, Aracruz. Os trabalhos de investigação foram atribuídos à unidade do MPT em Colatina.

De acordo com o Ministério Público do Trabalho, o procedimento de investigação será instruído com relatórios de perícias técnicas a serem elaboradas pela Superintendência Regional do Trabalho (SRT), pela Polícia Judiciária e por outras equipes técnicas especializadas em segurança e medicina do trabalho, bem como pela tomada de depoimentos de testemunhas, requisição de documentos, realização de diligências e demais medidas que se fizerem necessárias para o devido esclarecimento dos fatos e atribuição de responsabilidades pelo acidente.

Ainda segundo o MPT, as medidas de adequação do ambiente de trabalho serão determinadas pelas autoridades, em conformidade com a legislação trabalhista, em especial a Norma Regulamentadora nº 29, que disciplina a segurança e a saúde no trabalho portuário. Caso as medidas de adequação não sejam efetivadas voluntariamente pelos responsáveis, o Ministério Público do Trabalho poderá ajuizar ação civil pública com esse objetivo.

Entenda o caso

Três trabalhadores morreram e um precisou ser hospitalizado, após um acidente ocorrido em um navio atracado em Portocel. A suspeita é de que as vítimas tenham inalado um gás tóxico, que estava concentrado no porão da embarcação.

As vítimas atuavam como Trabalhadores Portuários Avulsos (TPAs) e executavam atividades no navio Sepetiba Bay, fretado pela Companhia de Navegação Norsul. A embarcação estava atracada no porto para descarregar madeira.

Os quatro portuários foram encontrados desacordados no porão desse navio. Um deles, o estivador Vitor Souza Olmo, foi socorrido, medicado no local e está estável, segundo o Portocel.

Os outros três trabalhadores foram resgatados pelos bombeiros e brigadistas e levados para o Hospital São Camilo, em Aracruz. No entanto, eles não resistiram. As vítimas que morreram são: Adenilson Carvalho, de 47 anos, que era suplente da diretoria executiva do Sindicato Unificado da Orla Portuária (Suport-ES), o arrumador Clóvis Lira da Silva, de 52 anos, e o estivador Luiz Carlos Milagres, de 64 anos.

De acordo com o Sindicato dos Estivadores, Trabalhadores Avulsos e Com Vínculo Empregatício em Estiva nos Portos do Estado do Espírito Santo (SETEMEES), o acidente teve início quando um dos trabalhadores desceu ao porão do navio para pegar equipamentos e desmaiou. Em seguida, outros três trabalhadores portuários foram ajudar, mas também desmaiaram.

A assessoria de comunicação do Portocel informou que as circunstâncias da ocorrência estão sendo investigadas e as autoridades competentes foram envolvidas. Por causa do acidente, a direção do porto decidiu paralisar temporariamente suas operações. O Portocel disse ainda que lamenta profundamente o acontecimento, que se solidariza com as famílias dos três trabalhadores e que está colaborando com as autoridades nas investigações.