• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Por falta de dinheiro, jovem que morreu em Portugal pode ser enterrada em Lisboa

  • COMPARTILHE
Geral

Por falta de dinheiro, jovem que morreu em Portugal pode ser enterrada em Lisboa

O pai de Deyse de Souza Ricarte, de 28 anos, disse que para trazer o corpo da filha para o Brasil custaria em média R$ 30 mil

Familiares da capixaba encontrada morta na última terça-feira (10), em um hotel em Portugal, estudam a possibilidade de realizar o enterro da jovem em Lisboa. 

O pai de Deyse de Souza Ricarte, de 28 anos, disse que para trazer o corpo da filha para o Brasil custaria em média R$ 30 mil, desta forma, existe a possibilidade de uma tia vá ao país europeu para que a jovem seja enterrada em Portugal.

A família, que buscou ajuda para trazer o corpo da jovem,  ainda conta com o auxílio de uma assistente social para realizar os contatos com o Ministério das Relações Exteriores.

A morte

Deyse de Souza Ricarte foi encontrada morta dentro do quarto de um hotel em Lisboa, Portugal, na última terça-feira (10). Segundo a polícia judiciária portuguesa, que investiga a morte, ela transportava 71 gramas de cocaína no estômago. A droga estava em cápsulas e uma delas teria se rompido dentro do corpo da jovem.

Deyse, que nasceu em Cariacica e morava em Vitória, embarcou de Belo Horizonte, Minas Gerais, em um voo direto para Portugal, no último domingo (08). De acordo com a Polícia Federal, a jovem deu entrada no passaporte na capital mineira e o documento foi emitido no último dia 22 de junho.

"Ela iniciou a viagem em Minas Gerais e, provavelmente, ela teria ingerido a substância entorpecente pouco tempo antes do embarque internacional. Então existem alguns indícios, nesse primeiro momento, de que a atuação criminosa estaria sendo desenvolvida no estado de Minas Gerais", afirmou o delegado da Polícia Federal no Espírito Santo, Ramon Almeida da Silva.

Em Lisboa, Deyse ficou hospedada em um hotel na rua Pascoal de Melo. Por telefone, funcionários do estabelecimento contaram à produção da TV Vitória/Record TV que, na última terça-feira, um homem chegou à recepção procurando pela jovem. Como ela não atendia o telefone, um funcionário arrombou a porta e a encontrou morta.