• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Restaurante Nossa Vida: Portas abertas para história e comida boa em Venda Nova do Imigrante

Geral

Restaurante Nossa Vida: Portas abertas para história e comida boa em Venda Nova do Imigrante

A abertura ao público começa a partir dessa terça-feira (17), às 19h30. O local é mais uma opção turística em uma das regiões mais belas do Estado

Venda Nova do Imigrante ganha mais uma atração para o turismo da região e a valorização da cultura local. O Restaurante Nossa Vida abre as portas às 19h30 desta segunda-feira, na Avenida Prefeito Nicolau Falchetto para sua inauguração oficial com amigos e convidados. A abertura ao público começa a partir dessa terça-feira (17), no mesmo horário.

O restaurante é um negócio familiar. Dos 13 irmãos da tradicional família Falchetto, 6 são sócios do restaurante e todos estão envolvidos direta ou indiretamente. Inclusive a avó chamada Lucina que tinha o hábito de usar a expressão “nossa vida” e virou inspiração para o nome do restaurante.

“Tudo surgiu de uma conversa informal da família (irmãs). As ideias foram muitas, inicialmente fazer pousada ou hotel. A finalidade era de unir a todos e preservar a área herdada, onde hoje está o empreendimento, decidiu-se pelo restaurante, já que a família sempre teve o hábito de se reunir em volta da mesa”, afirmou Tulio Falchetto, um dos sócios do empreendimento.

O objetivo é oferecer comida tradicional com um serviço de qualidade, além do espaço repleto de belezas naturais. O local é propício para um passeio entre amigos e família que queiram conhecer um pouco mais da região de forma única e aconchegante.

Mantendo as raízes

A novidade é um exemplo do movimento que vem acontecendo no interior do Espírito Santo: a atitude de jovens de não abandonar a zona rural para viver na cidade, dando continuidade e apoio nos negócios da família. No Restaurante Nossa Vida, um dos principais objetivos é o de manter as tradições e culturas trazidas pelos imigrantes italianos e que são preservadas até hoje pelos moradores da região serrana.

“A nossa família tem um pensamento de que herança não se vende. É preciso preservar, cuidar, multiplicar para as gerações darem continuidade ao que foi construído ao longo dos anos. Além disso, queremos manter a família unida e oferecer um espaço aconchegante onde outras famílias e os visitantes possam degustar uma boa comida”, reforça Tulio.

Saindo da previsível atitude de venda, a nova geração da família Falchetto decidiu por investir e valorizar o lugar rico de história e belezas em que nasceram.