• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Salada de sanduíche de fast food contamina 160 pessoas

  • COMPARTILHE
Geral

Salada de sanduíche de fast food contamina 160 pessoas

A ciclosporíase é transmitida pelo parasita Cyclospora caytanensis por meio da água ou alimentos contaminados por feze

Mais de 160 pessoas contraíram infecção por ciclosporíase, doença inflamatória intestinal causada por parasita, por meio da ingestão de salada em sanduíches da rede de fast food McDonald’s nos Estados Unidos em pelo menos 10 Estados. 

A informação foi divulgada pela FDA (Food and Drug Administration), em português, Administração de Alimentos e Medicamentos, órgão norte-americano de controle de alimentos e medicamentos.

Três pessoas foram hospitalizadas; não foi registrada morte. Do total de e pessoas afetadas, cerca de 60 registraram o problema na última semana, sendo 30 no Estado de Illinois, 16 em Iowa, sete em Missouri, três em Minnesota e dois em Nebraska, Dakota do Sul e Wisconsin.

A FDA, junto ao Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) norte-americano, estão investigando o surto de infecções, além de trabalharam com o McDonald’s para reconhecer os ingredientes comuns de cada salada a fim de rastrear a causa do problema

O McDonald’s norte-americano declarou, por meio de nota, a suspensão da venda de saladas nos Estados afetados até que os fornecedores sejam substituídos para evitar novas infecções. Entre os Estados atingidos estão Illinois, Iowa, Indiana, Wisconsin, Michigan, Ohio, Minnesota, Nebraska, Dakota do Sul, Dakota do Norte, Montana, Kentucky, Virgínia Ocidental e Missouri.

A ciclosporíase é transmitida pelo parasita Cyclospora caytanensis por meio da água ou alimentos contaminados por fezes. Entre os sintomas estão diarreia aquosa intensa, perda de peso, falta de apetite, aumento de gases, inchaço, febre, dores estomacais, náuseas, vômitos, fadiga e dores musculares. Algumas pessoas podem não apresentar sintomas. A doença requer diagnóstico médico por meio de exames de fezes. O tratamento é feito com antibióticos. Se não tratada, a doença pode durar mais de um mês.

Com informações do Portal R7.