• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Mortes por coronavírus já representam quase 10% dos óbitos registrados no ano passado no ES, diz secretário de Saúde

CORONAVÍRUS

Geral

Mortes por coronavírus já representam quase 10% dos óbitos registrados no ano passado no ES, diz secretário de Saúde

No último domingo, a marca de 2 mil mortes por covid-19 foi atingida no Estado

Foto: Divulgação

De acordo com o Secretário de Saúde do Estado, Nésio Fernandes, o número de óbitos pela pandemia já é quase 10% do total de mortes registradas no Espírito Santo no ano passado, que foi por volta das 24 mil mortes por diferentes causas. A afirmação foi dita durante coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira (13).

No último domingo a Sesa registrou mais de 2 mil mortes por conta do coronavírus no Estado. "Aqueles que duvidavam da letalidade e da violência da pandemia precisam fazer uma reflexão profunda", afirmou Nésio.

"Isoladamente, a covid deverá chegar até o final do ano como a maior causadora de mortes no Espírito Santo", disse o sub secretário de Vigilância em Saúde do Estado, Luiz Carlos Reblin, que também participa da coletiva.

Mesmo com o alto número de óbitos, o secretário afirmou que a taxa de letalidade teve uma leve melhora nos últimos dias nos hospitais da rede estadual e que aumentou o número de pacientes recuperados.

Parceria com a Ufes e monitoramento de esgoto

Reblin ressaltou a contribuição da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) que desde o início da pandemia tem feito monitoramento de dados, estudando o comportamento da doença, além de auxiliar na recuperação de equipamentos de ventiladores e respiradores, por exemplo, que foram integrados na rede hospitalar. 

Segundo o sub-secretário, em parceria com a Ufes, o Estado está iniciando o monitoramento de esgoto, que pode mostrar a incidência da doença nas diferentes regiões do Estado. 

Inquérito Sorológico

Uma etapa do inquérito foi realizada nos últimos dias no município de Governador Lindenberg. Os resultados mostram que a doença ainda tem perspectiva para avançar ainda mais nas cidades do interior. Segundo Nésio, a prevalência latente nessas cidades pode ser mais longa que em algumas cidades maiores.

A perspectiva é de que um novo Inquérito tenha início na próxima semana em 13 cidades do Estado.

Exames

De acordo com o secretário de Saúde, o Estado ainda aguarda a chegada de novos testes do Ministério da Saúde para a realização de novas etapas do Inquérito Sorológico em outras cidades. Ainda segundo o secretário, cerca de 700 a 800 testagens são feitas diariamente no Laboratório Central do Estado (Lacen).

Cirurgias eletivas

Nésio disse também que as cirurgias eletivas, suspensas desde o início da pandemia, podem ser retomadas em agosto. Um calendário será planejado, de acordo com o comportamento da covid-19 no Estado. Segundo o sub-secretário Reblin, quando o Estado tiver segurança (queda significativa do número de casos e mortes) esses procedimentos devem ser retomados.

Testes de vacinas

Não há previsão de recrutamento de voluntários para testagem de vacinas no Espírito Santo. Segundo Reblin, essas indicações são feitas previamente por grandes centros de desenvolvimento do País, que tenham capacidade tecnológica de acompanhar e monitorar pacientes, além da capacidade da produção da vacina. Para o Estado não há previsão de selecionar ou indicar pessoas para fazer parte de pesquisas nesse tipo.

Quando as aulas presenciais voltam?

A retomada das aulas presenciais nas escolas ainda não tem data definida. De acordo com o secretário, isso vai acontecer apenas quando o Estado tiver uma queda sustentada de óbitos e de casos graves, o que ainda não aconteceu. "Se isso não acontecer em agosto ou setembro, volta em outubro", disse Nésio. Tudo vai depender, segundo o secretário, do comportamento da doença nas próximas semanas.

"Normalidade" em setembro?

Há possibilidade de uma retomada gradual de mais atividades em setembro, segundo o secretário. "Essa decisão não será tomada a partir de tendências e sim de um contexto consolidado", afirmou Nésio. A retomada de eventos esportivos, por exemplo, está sendo avaliada pelo Estado, que tem feito protocolos sanitários para garantir a volta segura do campeonato capixaba de futebol e de outras modalidades.