Mutirão promete realizar 50 mil cirurgias eletivas no ES até o final do ano

Geral

Mutirão promete realizar 50 mil cirurgias eletivas no ES até o final do ano

Ação terá início na semana que vem. Entre os procedimentos previstos estão os oftalmológicos, geral, ortopédico, vascular, ginecológico, urológico, entre outros

Foto: Pixabay

A partir da semana que vem o governo do Estado vai iniciar um mutirão, na tentativa de zerar a fila de pessoas que esperam por uma cirurgia eletiva no Espírito Santo. A expectativa é realizar 50 mil procedimentos desse tipo ao longo do segundo semestre.

Entre os procedimentos previstos estão os oftalmológicos, geral, ortopédico, vascular, ginecológico, urológico, entre outros. A título de comparação, antes da pandemia, em 2019, foram realizadas 35 mil cirurgias eletivas no estado.

O anúncio sobre o início do mutirão foi feito na tarde desta quarta-feira (14), durante uma solenidade no Palácio Anchieta, em Vitória. O mutirão será feito em parceria com os hospitais filantrópicos que atuam no estado.

Durante o evento, o governador Renato Casagrande afirmou que a ação só será possível por causa do momento atual da pandemia no estado, onde o número de internações por causa da doença diminuiu consideravelmente.

“Fizemos ampliação na área de saúde que jamais esperávamos fazer em tão pouco tempo e que ficará de legado para a população capixaba. Estou muito feliz, pois as cirurgias eletivas foram uma das primeiras coisas afetadas no início da pandemia. Elas foram suspensas para que pudéssemos ter mais leitos e profissionais de saúde para atender à população. Hoje, quando conseguimos anunciar mais de 50 mil cirurgias eletivas, começamos a pensar que podemos voltar à certa normalidade", afirmou o governador.

Atualmente cerca de 23 mil pessoas aguardam para realizar uma cirurgia eletiva no Espírito Santo. A situação foi agravada durante o período mais crítico da pandemia da covid-19, quando os procedimentos tiveram de ser suspensos.

A medida foi tomada para que os leitos usados para essas cirurgias fossem adequados para atender aos pacientes infectados com o coronavírus. No ano passado, as cirurgias eletivas ficaram suspensas de março até agosto. Já neste ano a interrupção começou em janeiro e acabou em maio.

Cirurgias, consultas e exames especializados

As 50 mil cirurgias ofertadas ocorrerão de norte a sul do Espírito Santo, em 26 unidades hospitalares, sendo 13 hospitais da rede própria e 13 hospitais contratualizados.

As especialidades médicas para as cirurgias são: oftalmologia, cirurgia geral, ortopédica, vascular, ginecológica, urológica, otorrinolaringologia, proctologia, oncológica, cardíaca, cirurgia do aparelho digestivo, cirurgia torácica, cabeça e pescoço, bucomaxilofacial, neurocirúrgico, cirurgia plástica reparadora, bariátrica, mastologia e a de fenda palatina.

Durante o atendimento do paciente cirúrgico, serão disponibilizadas 150 mil consultas especializadas. A previsão é de que cada paciente tenha em média três consultas, como as pré-cirurgias, pós-cirúrgicas, consulta cardiológica e anestésica.

Quanto aos exames especializados, são oferecidos um total de 250 mil. Serão disponibilizados todos os exames pré-operatórios relacionados ao tipo de procedimento cirúrgico, sendo em média cinco exames por paciente cirúrgico.

Ofertas Região Central e Norte de Saúde

Para as regiões Central e Norte de Saúde serão disponibilizadas 10.563 cirurgias que ocorrerão em quatro unidades hospitalares estaduais: Hospital Estadual Roberto Arnizaut Silvares, em São Mateus; Dr Alceu Melgaço Filho, em Barra de São Francisco; Dr João dos Santos Neves, em Baixo Guandu; e Sílvio Avidos, em Colatina.

Ofertas Região Metropolitana de Saúde

Na Região Metropolitana de Saúde, 13 unidades hospitalares serão utilizadas para a oferta de 36.576 cirurgias.

Os procedimentos acontecerão em unidades da rede própria e em hospitais contratualizados, são eles: Hospital Estadual Dório Silva e Jayme Santos Neves, em Serra; Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória, Hospital Estadual Central e o de Urgência e Emergência “São Lucas”, os três na Capital; Hospital Estadual Infantil e no Estadual de Vila Velha, todos em Vila Velha.

Na rede contratualizada, serão ofertadas cirurgias no Hospital Evangélico de Vila Velha; Santa Casa de Misericórdia de Vitória; além do Hospital Santa Rita de Cássia e Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes, na Capital; no Madre Regina Protmann, em Santa Teresa; no Hospital Nossa Senhora da Penha, em Santa Leopoldina.

Ofertas Região Sul de Saúde

Para a Região Sul de Saúde, serão disponibilizadas 6.090 cirurgias em nove unidades hospitalares.

Na rede estadual, os procedimentos acontecerão no Hospital Estadual São José do Calçado e na Unidade Integrada Jerônimo Monteiro. Nas unidades contratualizadas serão: Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim; Santa Casa de Misericórdia de Guaçuí, de Cachoeiro de Itapemirim, de Iúna e na de Castelo; no Evangélico de Itapemirim; e no Hospital Materno Infantil Francisco de Assis, em Guarapari.