Aplicativo para bloquear celular levanta questão sobre os limites dados aos filhos

Geral

Aplicativo para bloquear celular levanta questão sobre os limites dados aos filhos

A novidade vem ao encontro da velha questão levantada ao educar os filhos. "Até que ponto deve-se impor limites ou respeitar a liberdade deles?"

"O limite não deve ser dado de maneira autoritária e sem diálogo" Foto: ​Divulgação

“Não me ignores mais. O teu telefone está bloqueado. Liga a mãe!”. Esta mensagem pode aparecer no celular do seu filho quando ele teimar em ignorar as suas chamadas. O aplicativo “Ignore No More” foi criado por uma norte-americana, Sharon Standifird, que estava irritada por seu filho não atender às chamadas ou responder às mensagens de texto.

O app funciona da seguinte forma: Quando você bloqueia o telefone dos seus filhos com Ignore No More, eles só têm duas opções: podem ligar de volta ou chamar um número de emergência. Sem telefonemas para amigos, mensagens de texto, sem jogos, até que te liguem de volta.

A novidade vem ao encontro da velha questão levantada ao educar os filhos. "Até que ponto deve-se impor limites ou respeitar a liberdade deles?". Segundo o psicólogo, Felipe Pimentel, o fato da mãe criar o aplicativo mostra que existe algo de errado. “A mãe que precisa usar de um aplicativo como esse, já mostra que ela não está tendo uma boa relação de controle e limite com o filho no dia a dia”, afirma.

Os pais são figuras importantes na educação dos filhos. No passado havia uma grande distância entre entre eles, pois eram vistos com muito respeito. Mas à medida que o tempo foi passando, a sociedade foi se abrindo mais, aceitando melhor temas polêmicos e entendendo a importância do amor e do respeito mútuo entre cada um.

Porém fica uma incógnita, será que os pais precisam impor limites ou ser um amigão, só pra não ser tachado de chato? Segundo Pimentel, a relação entre pai e filho precisa ser equilibrada. “Na verdade pra tudo na vida em termos de comportando, temos que buscar um nível de equilíbrio. Um pai muito amigão, que não cria uma relação de limites, vai ter problema, assim como, um pai controlador”, explica.

Dar limites faz parte da tarefa de educar, que não é só dar ou fazer tudo que os filhos querem, e sim abordar essa tarefa com compromisso, tendo a consciência de que estará influenciando uma pessoa que crescerá e atuará no mundo. “A consequência é que depois eles viram adultos que não sabem lidar com as frustrações, com as regras do meio social, dificuldades em tolerar os erros do outro. Na verdade aumenta a possibilidade dessa pessoa ser transgressor na sociedade”, comenta.

Os limites ajudam a formar a estrutura da personalidade dos filhos e, por isso, sua introdução deve ser feita com todo cuidado.“O limite não deve ser dado de maneira autoritária e sem diálogo. Um conselho que eu dou para os pais é que eles aprendam é buscar o equilíbrio, entre o amor e o limite”, conclui o psicólogo.