Nuvem gigante segue para a Bahia e deixa estragos na Grande Vitória

Geral

Nuvem gigante segue para a Bahia e deixa estragos na Grande Vitória

A previsão para a semana é de que a temperatura volte a cair em todo o estado, com variação de nuvens com chuvisco. A temperatura mais baixa é de 7º nos pontos mais altos da região serrana

Árvore cai e bombeiros são chamados Foto: Divulgação

Uma grande nuvem chegou a assustar os moradores pelo tamanho e velocidade com que passou pela Grande Vitória. Na manhã desta terça-feira (5) as rajadas de vento que chegaram a 74km/h. O vento deixou muitas casas destelhadas e árvores caíram em uma residência no bairro Cristóvão Colombo, em Vila Velha. O Corpo de Bombeiros foi até o local para ajudar a família que teve parte da residência destruída. O fenômeno, no entanto, não deve se repetir e a nuvem já está no litoral baiano. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil registraram cerca de 20 ocorrências provocadas pelos fortes ventos que atingiram o estado.

Na Serra, um morador ficou ferido depois que uma árvore destruiu o teto e quebrou parte da estrutura da casa. Árvores foram arrancadas em uma pracinha do bairro Eldorado. Um toldo também foi danificado e muitos moradores tiveram prejuízos.

Até o meio da tarde desta terça-feira (05) ainda aconteciam rajadas de ventos fortes na Grande Vitória. Moradores da rua Almirante Barroso e do Morro São José, da Praia do Suá, reclamavam de problemas como a falta de energia depois de uma explosão num poste, contudo, equipes técnicas da distribuidora foram até o local para restabelecer a energia. 

 Os casos de maior destaque foram uma árvore que caiu sobre um veículo em Vila Velha, uma tampa de caixa d'água que atingiu uma criança no município de Cariacica e algumas residências destelhadas em toda a região metropolitana da Grande Vitória. O aeroporto de Vitória operou com restrições pela manhã, mas à tarde já funcionava normalmente. O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil permanecem em alerta.

Segundo os meteorologistas do Instituto de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), esse fenômeno é chamado de nuvem rolo, essa nuvem acompanha normalmente frentes frias ou tempestades. “A formação dessa nuvem envolve o contraste entre massas de ar de diferentes tipos, temperaturas, umidade, densidade e o forte cisalhamento do vento, ou seja, a brusca mudança de direção e velocidade. Os ventos sopram de direções diferentes na base e no topo da nuvem, dando o formato de rolo típico deste tipo de nuvem, disposta na forma de um arco alongado. Essas nuvens se formam normalmente sobre o oceano e bem próximas às regiões litorâneas”, falou o meteorologista do Incaper, Bruce Pontes. 

Bruce informou ainda que a nuvem já foi embora e está no mar na altura da Bahia, contudo, a previsão para a semana é de que a temperatura volte a cair em todo o estado, com variação de nuvens com chuvisco no começo do dia na Grande Vitória. Na capital e regiões sul e noroeste, a máxima é de 24º. Para a região serrana a máxima é de 23º. E a temperatura mais baixa prevista para amanhã é de 7º nos pontos mais altos da região serrana. 

Os ventos fortes desta terça-feira lembraram a ventania de maio do ano passado, que derrubou parte da cobertura do terminal do Transcol de Itaparica, em Vila Velha. O terminal ficou interditado por 40 dias e os toldos de metal não foram recolocados.