China detém 11 pessoas acusadas de negligência em explosões no porto de Tianjin

Geral

China detém 11 pessoas acusadas de negligência em explosões no porto de Tianjin

Redação Folha Vitória

Pequim - As autoridades da China detiveram outros 11 funcionários e executivos portuários nesta quinta-feira responsáveis pelas explosões no porto da cidade de Tianjin, que ocorreram no dia 12 de agosto, sob acusações de negligência e de abuso de poder.

As autoridades disseram que anteriormente, 12 pessoas tinham sido detidas, entre elas, executivos da empresa Ruihai International Logistics, que operava o armazém no momento das explosões, incluindo o presidente da empresa, Yu Xuewei, e o Vice-Presidente, Dong Shexuan.

O grupo acusado inclui funcionários aduaneiros e de transporte, reguladores de segurança do trabalho, executivos do alto escalão do porto em Tianjin e a empresa estatal que controla um dos portos mais movimentados do mundo, disse a Procuradoria Popular da China.

Os investigadores alegam que as 11 pessoas - incluindo um oficial aposentado - não realizaram adequadamente as suas competências de supervisão e de regulação nas empresas que lidam com produtos químicos perigosos no porto, incluindo no armazém onde ocorreram as explosões que mataram 139 pessoas e feriram mais de 700, de acordo com o aviso prévio da Procuradoria. Dez deles são acusados de abandono do dever, enquanto enfrentam acusações de abuso de poder, acrescentou.

Os 11 funcionários e executivos foram detidos e não puderam ser contatados para comentarem o assunto. Fonte: Dow Jones Newswires.