França e Malásia iniciam análises detalhadas de parte da asa de avião

Geral

França e Malásia iniciam análises detalhadas de parte da asa de avião

Redação Folha Vitória

Balma, França - Os peritos da França e da Malásia começaram a examinar detalhadamente nesta quarta-feira um fragmento de asa de avião que pode oferecer a primeira pista concreta sobre o destino do voo 370 da Malaysia Airlines, que desapareceu há mais de um ano atrás, com 239 pessoas a bordo, que viajavam de Kuala Lumpur para Pequim.

Intacta e incrustado com crustáceos, a peça de metal foi encontrada próxima a ilha francesa de Réunion, no oceano Índico na semana passada e foi enviado para a França, onde os investigadores irão determinar se faz parte do avião desaparecido.

Depois de confirmar que o fragmento da asa é de um Boeing 777, analistas disseram que os investigadores examinarão o metal com microscópios de alta potência para tentar capturar algum detalhe sobre o que causou a queda do avião.

Analistas disseram que um olhar mais atento sobre a parta da asa, conhecida como flaperon, poderia indicar que tipo de estresse que o avião estava quando sofreu o impacto. No entanto, as análises não irão resolver totalmente o mistério, como o porquê do avião ter desaparecido, nem irá ajudar a identificar onde o avião caiu.

As autoridades estão trabalhando com a teoria de que o avião ficou sem combustível, mas alguns analistas argumentam que a aparente falta de danos para a peça de destroços

indica um pouso controlado no mar. Outra teoria é que o jato mergulhou na água verticalmente, arrancando ambas as asas, mas preservando a fuselagem. Fonte: Associated Press.