Fruta exótica é produzida em Linhares e comercializada no Ceasa

Geral

Fruta exótica é produzida em Linhares e comercializada no Ceasa

O mangostin é uma fruta rica em proteínas, fibras, ferro, magnésio, fósforo, potássio, zinco, cobre e manganês. Além das vitaminas C, B6 e B12

A fruta exótica era preferida da rainha Vitória, da Inglaterra Foto: Divulgação/Governo

Você já ouviu falar no mangostin ou mangostão? A fruta é conhecida na Ásia e na Indonésia, onde é mais produzida, como “a fruta mais saborosa do mundo” por possuir um sabor exótico e delicioso. Além disso, ela oferece benefícios para a saúde. 

A comercialização do mangostin no mercado das Centrais de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa/ES) começou no mês de julho com o preço médio do quilo ofertado a R$17,00.

Marcos Simonassi, vende o mangostin e garante que a fruta é bastante procurada “No mês eu costumo vender aproximadamente 2 mil toneladas da fruta. No Brasil, o plantio do mangostin é destaque nos estados de São Paulo, Bahia e no município de Linhares, no Norte do Espírito Santo”, conta Simonassi.

Saúde

O mangostin é uma fruta rica em proteínas, fibras, ferro, magnésio, fósforo, potássio, zinco, cobre e manganês.  Além das vitaminas C, B6 e B12. “Com apenas 63 calorias por 100 gramas, não apresenta teor de gordura saturada nem de colesterol”, explica a nutricionista Matilde Alves.

Segundo a nutricionista, o mangostin possui antioxidantes que auxiliam o combate a doenças como câncer e retardam o envelhecimento “Os antioxidantes são reconhecidos pela sua capacidade de proteger o corpo de efeitos deteriorantes. Além disso, é uma excelente fonte de fitonutrientes que oferecem benefícios que incluem efeitos antioxidantes. Os fitonutrientes específicos que se encontram em frutas e verduras funcionam em conjunto com outros nutrientes para proteger a saúde,” explica a nutricionista. 

Em armazenamento fechado, seco e quente, os mangostões podem ser guardados por 20 a 25 dias. Períodos mais longos podem endurecer a pele exterior, e a casca enrijecer. Quando a casca endurece, torna-se difícil abrir os frutos, e o próprio interior seca.