Forte terremoto mata ao menos 38 pessoas no centro da Itália

Geral

Forte terremoto mata ao menos 38 pessoas no centro da Itália

Epicentro foi registrado perto da cidade de Norcia; somente na cidade de Accumoli, número de desalojados chega a 2,5 mil, dos quais 2 mil são turistas

O cenário é de total destruição Foto: UReady4Football

ROMA - Um forte terremoto, de 6,2 graus na escala Richter, atingiu na madrugada desta quarta-feira (24) a região central da Itália, informou o Centro Geológico dos EUA. Prefeito da cidade de Accumoli relata que há mortos e feridos, vítimas do desastre natural. De acordo com informações preliminares, o sismo matou ao menos 38 pessoas, mas ainda há muitos moradores presos debaixo de escombros. Somente na cidade de Accumoli, número de desabrigados chega a 2,5 mil, dos quais 2 mil são turistas.

O epicentro do terremoto teria ocorrido a pouca profundidade, perto da cidade de Norcia, cerca de 170 quilômetros a noroeste de Roma, onde a população foi acordada aproximadamente às 3h30 locais (22h30 de terça-feira em Brasília). Os fortes tremores também foram sentidos em várias cidades da região, como Peruggia, Rimini, Napoli. Nas horas seguintes, mais de 50 tremores secundários com magnitude superior a 2 graus foram registrados nas proximidades. 

O porta-voz do Departamento de Bombeiros, Luca Cari, disse ter recebido informações de que alguns edifícios haviam sido danificados, mas não tinha mais detalhes. "Foi o pior terremoto de minha vida", disse Matteo Berlenga, após abandonar sua casa em Gubbio, na região de Umbria.

Equipes da Defesa Civil e do Exército italiano trabalham em missões de resgate em Amatrice para encontrar possíveis sobreviventes, e contam com apoio de integrantes do Corpo Florestal e de muitos moradores.

O porta-voz do primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, informou em sua conta no Twitter que o governo estava em contato com a agência de proteção civil para acompanhar a situação. Além disso, ele agradeceu às equipes de resgate pelo trabalho que está sendo realizado e disse que pretende visitar as áreas afetadas ainda nesta quarta-feira.

O prefeito de Amatrice, Sergio Perozzi, disse à rádio estatal RAI que vários edifícios desabaram no centro da cidade e que não havia eletricidade. Ele acrescentou ainda que não conseguia falar com os serviços de emergência ou com os hospitais. "O que eu posso dizer? É um drama", declarou. Perozzi afirmou também que "metade da cidade não existe mais".

O prefeito de Accumoli, Stefano Petrucci, explicou que foram recuperados os corpos de três pessoas em sua cidade e que há oito com ferimentos graves, mas que esse número deve aumentar, já que há muitos ainda estão sob os escombros, como um casal com seus dois filhos pequenos que dão sinais de vida há algumas horas. 

Veículos de imprensa locais reportaram vários resgates dramáticos de sobreviventes, como o caso de um homem de 65 anos em Accumoli, que acabou soterrado por uma casa que afundou completamente. Em Pescara del Tronto foram resgatadas duas crianças de 4 e 7 anos que haviam sido colocadas debaixo de uma cama por sua avó no momento do tremor.

Os feridos estão sendo transferidos para hospitais próximos, como o da cidade de Rieti o L'Aquila, onde aconteceu o terremoto de 2009, já que os centros médicos da região sofreram danos. Nos hospitais de Roma foram internadas seis pessoas, duas delas em estado grave, que foram transferidas das localidades atingidas em helicópteros. 

Com informações de agências internacionais!