• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Prédio ocupado por famílias sem teto pega fogo em Vitória

Geral

Prédio ocupado por famílias sem teto pega fogo em Vitória

No prédio funcionava o antigo Hospital São José, que agora é ocupado por pessoas do Movimento Nacional das Famílias Sem Teto

Um prédio ocupado por famílias sem teto pegou fogo na madrugada desta sexta-feira (3), no Centro de Vitória. O fogo começou na área social do prédio, no Parque Moscoso, em Vitória. As chamas destruíram uma moto. No local também havia uma bicicleta e dela só sobrou o guidão.

No prédio funcionava o antigo Hospital São José, que agora é ocupado por pessoas do movimento nacional das famílias sem teto. As famílias acordaram com a fumaça, que chegou até o terceiro andar. “Da janela vimos a fumaça subindo e o povo começou a gritar, a gente abriu o corredor e só havia fumaça. O povo entrou em pânico”, contou o líder do movimento, Vicente Mendes Filho.

O incêndio começou no início da madrugada e durante manhã o Corpo de Bombeiros esteve no local para a realização de uma perícia. O líder do movimento contou que foram os bombeiros que apagaram o fogo e todas as famílias foram retiradas do prédio. “Graças a Deus a gente conseguiu quebrar um portão e descemos com as famílias. Até agora estamos com dificuldade de respirar. Teve um jovem que até desmaiou”, disse Vicente.

Os ocupantes acreditam que o incêndio tenha sido intencional e suspeitam de um morador que já vinha trazendo problemas para o prédio. “Foi na moto. Alguém colocou fogo. Acho que foi um ocupante. A família dele estava no prédio, ele tem dois filhos, tem esposa, e tem um ciúme possessivo. Acho que não estava em sã consciência, pois ele colocou 30 famílias em risco, inclusive a dele. A gente trabalha com vidas, e ele precisa de tratamento”, afirmou o líder do movimento.

Segundo a liderança, no edifício moram 32 famílias, mas ninguém se feriu. Eles estão alí há cinco meses e agora terão de deixar o local. “Existe um acordo. A gente estava dormindo tranquilo e ontem o proprietário veio aqui e deu 24 horas para a gente sair. Mas eu faço um apelo, pois a gente precisa de um tempo para se organizar para sair”, destacou Vicente.

Uma perícia foi feita para saber o que provocou o incêndio. O dono do imóvel disse que procura uma forma legal para desocupar o edifício.