'A imprensa regional é importante para o futuro da nação', diz presidente Jair Bolsonaro

Geral

'A imprensa regional é importante para o futuro da nação', diz presidente Jair Bolsonaro

A declaração foi dada durante um café da manhã com lideranças de entidades que representam os veículos de comunicação do Sul do Brasil

Foto: Divulgação / Acaert

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira (22), em Brasília, que o trabalho da imprensa regional é importante para o futuro da Nação. A declaração foi dada durante um café da manhã com lideranças de entidades que representam os veículos de comunicação do Sul do Brasil.

Na ocasião, Bolsonaro reclamou do que chamou de "má vontade" da mídia nacional em interpretar suas declarações sobre diversos assuntos. “Esse é o meu jeito de falar. Jeito que o povo entende. E não vou mudar. Estamos construindo uma rota diferente do passado. Nós temos tudo para dar certo. Precisamos de união”, ressaltou.

Acompanharam o presidente o ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, general Luiz Eduardo Ramos; o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno; e o Secretário Especial de Comunicação Social, Fábio Wajngarten. “Esse é o jeito sincero do presidente. Discurso que foi eleito pelo povo brasileiro”, destacou o general Ramos, amigo pessoal de Bolsonaro. 

O encontro foi articulado pela Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert). De acordo com o presidente da entidade, Marcello Corrêa Petrelli, o objetivo foi mostrar ao presidente o potencial e a atuação da mídia regional nos três estados do Sul. “Nossos veículos fazem comunicação em sintonia com a sociedade porque fazemos parte dela”, disse.

O presidente da Acaert foi porta-voz da comitiva. Em seu discurso, Petrelli lembrou que a mídia regional é defensora de suas cidades, lideranças e “todos aqueles que são agentes de progresso e desenvolvimento”. Segundo ele, os programas locais de rádio e televisão, além dos jornais impressos, têm as maiores audiências nos municípios. 

“Nosso público aprendeu a desconfiar da mídia mal-intencionada, porque temos um propósito: pensar e agir diferente. Em primeiro lugar está nossa comunidade, a nossa região, o nosso Estado. Somos a ponte para construir um verdadeiro diálogo com a sociedade, pautado pela informação e no compromisso com os fatos e a verdade”, completou.

O ex-presidente da Acaert e conselheiro de Comunicação do Senado, Ranieri Moacir Bertoli, também apresentou uma defesa da mídia regional e alertou ao presidente Bolsonaro sobre o grande aumento das rádios comunitárias no país. Entre 2004 a 2013, houve um aumento de concessão de radcom em 103%, totalizando 4.504 emissoras neste período. “São concorrentes que não pagam impostos e fazem uma política sem nenhuma fiscalização no cumprimento da lei”, disse.

*Com informações da Acaert