Terceira Ponte terá duas ciclovias, seis faixas para veículos e barreira de 3 metros para evitar suicídios

Geral

Terceira Ponte terá duas ciclovias, seis faixas para veículos e barreira de 3 metros para evitar suicídios

O investimento deve se aproximar dos R$ 100 milhões. A obra, depois de licitada, deve demorar três anos para ficar pronta

Iures Wagmaker e Rafael Silva Freitas

Redação Folha Vitória
Foto: Arquivo Secom

O Governo do Estado apresentou, na tarde desta quarta-feira, (7) o projeto de ampliação da Terceira Ponte. De acordo com o governador Renato Casagrande, foi comprovado tecnicamente que é possível agregar ciclovias, novas faixas, muro de proteção e até um mirante na ponte.

O investimento deve se aproximar dos R$ 100 milhões. A obra, depois de licitada, deve demorar três anos para ficar pronta. O Governo do Estado apresentou um anteprojeto, já com alguns detalhes técnicos, que deverá receber mudanças quando for para as mãos da empresa contratada.

Ciclovia

A proposta do governo é que a ponte passe a contar com duas ciclovias, uma em cada sentido, que serão interligadas à malha cicloviária de Vila Velha e Vitória.

A faixa para ciclistas ficará abaixo da visibilidade dos automóveis que passarem pela ponte. Ao lado dela haverá um muro de 3 metros, que, segundo o governo, não atrapalhará a vista da Baía de Vitória. A proposta é que um trecho desse muro seja de material transparente, criando uma espécia de mirante no meio da ponte.

Seis faixas

Além disso, a nova estrutura contará com seis faixas para veículos, três em cada sentido. Duas delas - uma em cada sentido - serão exclusivas para ônibus, caminhões e táxis. Segundo o secretário de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Damasceno, a ideia da nova faixa é ser uma espécie de "linha verde", como a que foi implementada pela Prefeitura de Vitória na orla de Camburi.

Prazo

O Governo do Estado fará duas reuniões públicas, em Vitória e Vila Velha, ouvindo a população sobre ideias para a obra. A de Vitória já tem data marcada e vai acontecer no dia 27 deste mês. O local ainda não foi definido.

O edital para a licitação da obra será publicado em setembro. A ideia é fazer contratação pelo Regime Diferenciado de contratação. A empresa vai ter a liberdade de alterar, melhorar e trabalhar o projeto.