• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Novo inquérito sorológico: mais de 262 mil capixabas tiveram contato com o coronavírus

CORONAVÍRUS

Geral

Novo inquérito sorológico: mais de 262 mil capixabas tiveram contato com o coronavírus

O número é menor do que o constatado na etapa anterior do inquérito, realizada no fim de junho, que apontou que 386.193 pessoas já foram infectadas no estado

Foto: Secom/PML

O novo inquérito sorológico, realizado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) na semana passada, estimou estatisticamente que 262.016 capixabas tiveram contato com o novo coronavírus, o que corresponde a 6,52% da população. O número é menor do que o constatado na etapa anterior do inquérito, realizada entre os dias 22 e 24 de junho, que apontou que 386.193 pessoas já tiveram contato com o coronavírus no Espírito Santo — uma prevalência de 9,6%.

Do total estimado nesta etapa do inquérito, 144.294 pessoas são da Grande Vitória (prevalência de 7,29%) e 86.671 do interior do estado (4,25% de prevalência). A cidade capixaba com a maior quantidade de infectados pela covid-19, segundo a estimativa do estudo, foi Vila Velha, com 40.837. No entanto, o município que apresentou a maior prevalência de infectados, em relação à sua população, foi Colatina, no noroeste do estado, onde estima-se que 8,59% da população teve contato com o vírus.

>> Coronavírus: ES deve avançar na recuperação de casos em agosto, diz secretário de Saúde

Assintomáticos

Já o número de pessoas que foram infectadas pelo novo coronavírus, mas não apresentaram qualquer sintoma da doença — os chamados assintomáticos — cresceu em comparação com o inquérito anterior. Segundo os dados obtidos, cerca de 47,6% das pessoas que tiveram contato com o coronavírus não apresentaram sintomas da covid-19.

Entre os não assintomáticos, 15,9% tiveram apenas um sintoma, 10,6% tiveram dois, 6,7% tiveram três e 19,2% tiveram quatro sintomas ou mais. Dos que testaram positivo para a doença, apenas 12% procuraram atendimento médico.

O principal sintoma relatado pelos que foram contaminados pelo coronavírus foi a anosmia, que é a diminuição ou perda absoluta do olfato, relatado por 25,3% da população pesquisada. Outros sintomas constatados foram: tosse, cansaço, dores musculares, falta de ar, dor de garganta, diarreia, febre, dor abdominal, taquicardia e vômitos.

Perfil dos infectados

A maior parte das pessoas que tiveram covid-19 no Espírito Santo, segundo o inquérito sorológico, é composta por mulheres. Pretos e pardos também foram maioria entre os infectados, de acordo com o estudo.

Outra constatação da pesquisa foi que pessoas que utilizam o transporte público com mais frequência estão mais sujeitas a serem infectadas pela doença. Isso porque a maior parte dos que tiveram contato com o coronavírus afirmaram utilizar o transporte coletivo três a quatro vezes ou mais durante a semana. O tempo médio dessas pessoas no transporte público é acima de 30 minutos e, especialmente, acima de 60 minutos.

O estudo constatou também que a maioria dos infectados sai de casa todos os dias, não faz uso adequado de máscaras e não faz a higienização adequada de pacotes e mercadorias, o que reforça que manter o isolamento social, usar a máscara quando sair de casa e ter os devidos cuidados com a higiene são medidas preventivas ao novo coronavírus.

Inquérito sorológico

A nova fase do inquérito sorológico da Sesa teve início na última segunda-feira (27) e seguiu até quarta-feira (29), em 13 municípios do Espírito Santo: Afonso Cláudio, Alegre, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Colatina, Linhares, Marataízes, Nova Venécia, Santa Maria de Jetibá, São Mateus, Serra, Vila Velha e Vitória.

Ao todo, 7.831 pessoas foram submetidas à testagem para detecção de anticorpos do novo coronavírus. Cerca de 400 profissionais, divididos em 196 equipes, participaram dessa etapa da pesquisa.

Para esta nova fase do inquérito sorológico, serão realizadas de quatro a seis etapas, previstas para acontecerem a cada 15 ou 21 dias, a depender da evolução da pandemia. Uma outra novidade é que, a partir da segunda etapa, outros municípios que se mostraram interessados em realizar a pesquisa em seus territórios e fizeram a adesão ao Inquérito, poderão participar.

Esses novos municípios, na chamada “fase de candidaturas”, ficarão encarregados de providenciar os equipamentos de proteção individual e materiais de apoio; além de estruturar as equipes de campo, o transporte e a logística de alimentação. Já a Sesa, por meio das regionais de saúde, oferecerá o apoio metodológico e tecnológico na aplicação da pesquisa, com análise estatística, capacitações, manual instrutivo da pesquisa e os relatórios finais.