Pai de Hilário é interrogado e diz não se conformar com morte de Milena

JULGAMENTO DO CASO MILENA GOTTARDI

Geral

Pai de Hilário é interrogado e diz não se conformar com morte de Milena

Esperidião foi o terceiro interrogado do sexto dia do julgamento. O próximo e último a depor é Hilário, ex-marido de Milena

Redação Folha Vitória

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação

O réu Esperidião Carlos Frasson, sogro de Milena e pai de Hiláiro foi o terceiro interrogado neste sábado (28), sexto dia de julgamento do caso.

O interrogatório de Esperidião durou cerca de uma hora e meia. O réu também foi orientado a só responder as perguntas do advogado de defesa e dos jurados.  Ao final do interrogatório dele, nenhum jurado fez perguntas.

Ele negou participação no crime, disse que tinha uma boa relação com Milena e a família dela. Chorou em alguns momentos.

"Relacionamento com a Milena era muito bom, era uma pessoa muito importante para mim (diz chorando). Além de ser minha nora, era muito educada, muito trabalhadora" disse. 

Relacionamento de Hilário com Milena

Esperidião comentou sobre altos e baixos de Milena e Hilário em 2016, um ano antes da morte de Milena. 

"Nesta época Milena e Hilário já estavam passando por uma crise, com altos e baixos no casamento. Eu chamei os dois, Dona Zilca (mãe de Milena) também, e conversamos com eles."

Ele ainda conta como foi o período de separação do casal e fala que nunca soube de qualquer agressão que Milena pudessem ter sofrido por Hilário. 

"Estive na casa dela umas duas ou três vezes. Os dois estavam separados em partes, mas eles não se falavam dentro de casa. Não tinha mais aquele amor e convivência de casal entre eles. Nunca vi Milena com marcas e nunca soube dela ter sido agredida. Nunca houve isso com ela"

Acompanhe a cobertura completa do julgamento do caso

Sobre a saída de Milena do apartamento em morava com Hilário, Esperidião disse que a apoiou e falou que quem tinha que sair de casa era o filho, e não ela. 

"Um dia Milena pegou duas malas de roupa e foi para o apartamento do sogro de Douglas, em Camburi.  Eu disse que se alguém tinha que sair era Hilário, não você com minha nestas. Ele sai e você fica. Conversei com o Hilário e ele disse que ia para a casa do Tarciso.  Milena trocou o miolo das chaves e eu achei correto."

Esperidião nega ser mandante de crime

Esperidião negou conhecer Dionathas e Bruno, e disse apenas conhecer Valcir apenas para trabalhos e que não sabia de nenhum envolvimento dele em crime. Ele afirmou nunca ter oferecido dinheiro para ninguém assumir crime nenhum nem nunca ter ameaçado ninguém. 

Ele terminou o depoimento dizendo que não se conforma com a morte de Milena: "Eu queria tanto que isso não tivesse ocorrido na minha casa (choro). Eu fiquei arrasado de ter acontecido um trem desse na minha casa. Não me conformo da Milena ter sido morta desse jeito"

Leia também: Hermenegildo afirma que esteve no Hucam no dia do crime que matou Milena Gottardi