Geral

Amigo que cuidaria dele sofreu acidente, diz tutora de cão abandonado em Vitória

O cão foi encontrado preso na varanda de apartamento, sujeito ao sol, chuva e vento. A tutora alegou que estava viajando e deixo o animal sob os cuidados de amigo

Redação Folha Vitória

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação/ Prefeitura de Vitória

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), ouviu a tutora do cachorro encontrado sozinho na varanda de um apartamento em Jardim Camburi, em Vitória. Durante depoimento, ela destacou que, o amigo que ficou responsável pelos cuidados acabou sofrendo um acidente e "esqueceu do animal". 

O cão foi resgatado pela Guarda Municipal em situação de maus-tratos no dia 29 de julho. Vizinhos contaram aos agentes que o animal estaria abandonado no local há alguns dias. Veja o momento que o cão foi localizado: 

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas? Participe da nossa comunidade no WhatsApp ou entre no nosso canal do Telegram!

Durante a CPI dos Maus Tratos, realizada pela Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), a empresária explicou que viajou para participar de um grande evento relacionado à sua área de atuação em Brasília. Ela saiu por volta das 5 horas da quinta e retornaria no domingo.  

Com a situação, ela teria combinado com um amigo para cuidar do animal, na noite anterior à viagem. Entretanto, ele teria sofrido um acidente e não foi ver o cachorro. Além disso, afirmou que não levou o cão para viajar porque era um evento com muita gente e achou melhor preservá-lo no “cantinho dele”. 

Amigo sofreu um acidente e não cuidou do animal 

Durante a CPI, o amigo que seria responsável pelo cachorro também foi ouvido. Ele confirmou que combinou de cuidar do cachorro para visitar, limpar e passear duas vezes por dia.

Mas afirmou que teria esquecido do combinado após sofrer um acidente na manhã de quinta-feira. Ao ser questionado porque não tomou nenhuma atitude, ele afirmou: “apaguei da mente tudo o que era fora da minha rotina”. 

O relator da CPI, deputado Alexandre Xambinho (PSC), perguntou por que o amigo da tutora não considerou levar o cão para a casa dele. Ele respondeu que, “devido à preocupação com o acidente, não lembrou do animal”. 

>> VÍDEO | Bandido rouba carro e exige até a carteira de motorista da vítima em Vitória

Cachorro estava desidratado e com infecção urinária 

Durante os depoimentos, a gerente de Bem-Estar Animal da Prefeitura de Vitória, Katiuscia Rodrigues de Oliveira disse que, mesmo não sendo de costume trabalhar aos finais de semana, ela e mais dois médicos veterinários foram ao apartamento e verificaram uma situação.

A gerente descreveu que o cão estava trancado sem acesso ao resto da casa. No local, algumas vasilhas estavam vazias e em uma havia pouca água. Além disso, havia uma quantidade de fezes não correspondiam a um animal de porte pequeno.

A testemunha também disse ainda que os dois veterinários atestaram desidratação e infecção urinária no animal, encaminhado a uma clínica contratada pela prefeitura. Após retirar o cachorro do apartamento, a servidora conversou com a tutora e solicitou que ela procurasse a gerência.

Questionada sobre a informação dada pela servidora da prefeitura sobre o fato de a carteira de vacinação do animal estar desatualizada, a tutora disse acreditar que não estaria. Ela alegou que as próximas seriam ainda em dezembro deste ano. 

Após o inquérito aberto, o caso segue em investigação pela Delegacia do Meio Ambiente. 

LEIA TAMBÉM: Após polêmica, outdoors com anúncio de "acompanhantes de luxo" são retirados no ES

Pontos moeda