• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Nova espécie de hominídeo é descoberta

Geral

Nova espécie de hominídeo é descoberta

São Paulo - Um grupo internacional de cientistas anunciou na quinta-feira, 10, a descoberta de uma espécie extinta do gênero Homo, linhagem de hominídeos que culminou com o aparecimento dos humanos modernos.

Os fósseis da nova espécie, batizada de Homo naledi, foram descobertos em 2013 na caverna Rising Star, na África do Sul, em um sítio paleontológico a 50 quilômetros de Johannesburgo. Foram encontrados mais de 1.550 fragmentos fósseis de 15 indivíduos, o que corresponde à maior descoberta de fósseis de hominídeos já realizada de uma só vez na África.

Os fósseis ainda não foram datados, mas, com base na morfologia, os cientistas estimam que tenham 2,5 milhões de anos - um período intermediário entre os últimos Australopithecus e os mais antigos membros do gênero Homo.

O Homo naledi foi descrito em estudo publicado ontem na eLIFE e liderado por cientistas da Universidade de Witwatersrand, da Sociedade Geográfica Nacional e do Departamento de Ciência e Tecnologia da Fundação Nacional de Pesquisa da África do Sul.

De acordo com os autores, além de ajudar a esclarecer as origens e a diversidade do gênero Homo, a espécie parece ter depositado intencionalmente os corpos de seus mortos em uma câmara remota da caverna - um comportamento que os cientistas acreditavam, até agora, ser exclusivo dos humanos.

"Com praticamente todos os ossos do corpo representados diversas vezes, o Homo naledi já é praticamente o membro mais bem conhecido de nossa linhagem", afirmou Lee Berger, professor de estudos evolutivos da Universidade Witwatersrand, que liderou duas expedições para a descoberta dos fósseis.

Características

De acordo com os cientistas, o Homo naledi tem a aparência de um dos mais primitivos membros do gênero Homo - como o Australopithecus, mas também possui características "surpreendentemente" humanas. "O Homo naledi tinha um cérebro bem pequeno, do tamanho de uma laranja e um corpo muito esguio", disse um dos autores principais do artigo, John Hawks, da Universidade Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos.

De acordo com Hawks, a nova espécie tinha uma combinação de diversas características anatômicas de outras espécies de hominídeos, formando um conjunto jamais visto.

Segundo o estudo, a espécie tinha em média cerca de 1,5 metro de altura e pesava 45 quilos. Seus dentes, assim como a maior parte do crânio, eram semelhantes aos do hominídeo mais antigo conhecido do gênero, o Homo Habilis.

Os ombros, porém, são semelhantes aos de macacos. Para surpresa dos cientistas, o Homo naledi tinha dedos mais curvos do que os de qualquer outro hominídeo, indicando capacidade para escalar.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.