Principais partidos têm empate técnico, antes da eleição de domingo na Grécia

Geral

Principais partidos têm empate técnico, antes da eleição de domingo na Grécia

Redação Folha Vitória

Atenas - Pesquisas de opinião publicadas no último dia da campanha para a eleição geral da Grécia sugerem que o partido de esquerda Syriza e o conservador Nova Democracia estão em um empate técnico, antes da votação deste domingo. Três pesquisas publicadas nesta sexta-feira mostram que os dois partidos estão praticamente com o mesmo nível de intenção de votos. Caso isso se confirme, o vencedor precisaria do apoio de duas siglas menores para formar uma coalizão de governo.

O líder do Syriza, Alexis Tsipras, renunciou ao cargo de primeiro-ministro e convocou as eleições antecipadas no mês passado, após chegar a um acordo com credores da zona do euro para um terceiro pacote de ajuda, que gerou uma divisão em seu partido.

O Syriza mantém uma liderança apertada na maioria das pesquisas e descarta formar uma grande coalizão com os conservadores, apesar do compromisso dos dois partidos para implementar o novo pacote de ajuda de US$ 86 bilhões de euros (US$ 97 bilhões).

Pelo sistema eleitoral grego, o partido vencedor recebe um bônus de 50 cadeiras, no Parlamento de 300 membros. As três siglas mais votadas terão cada uma três dias para formar uma coalizão, em sucessivas rodadas de consultas, caso não se chegue a um vencedor claro.

Minimizando objeções anteriores, Tsipras indicou que poderia trabalhar junto com o Partido Socialista (Pasok) e com o centrista Potami, em uma eventual coalizão. "Nosso objetivo é conseguir uma maioria para governar. Mas, mesmo se não conseguirmos a maioria, nós teremos um governo em uma primeira rodada de consultas", disse ele, em entrevista à emissora Antenna nesta sexta-feira. "O que estou dizendo é que o governo será formado. Pode ser um governo conservador ou um progressista."

Tsipras falará mais tarde em seu evento final da campanha em Atenas, na Praça Sintagma, em um evento que deve ter a presença de Pablo Iglesias, do partido esquerdista espanhol Podemos. Fonte: Associated Press.