Geral

Premiação reconhece mulheres empreendedoras que se destacam no Espírito Santo

O Prêmio Mulheres do Amanhã, organizado pela ArcelorMittal Tubarão, visou a identificar e homenagear negócios, iniciativas, ações ou projetos implantados pioneiramente no Estado

Foto: Divulgação / ArcelorMittal
As vencedoras Juliana Rohsner Vianna, Francielle Teixeira Rodrigues, Edivana Poltronieri e Bartira Gomes tendo, ao meio, Erick Torres Bispo, vice-presidente de Operações da ArcelorMittal Tubarão.

A ArcelorMittal Tubarão anunciou as quatro vencedoras do Prêmio Mulheres do Amanhã na noite desta quinta-feira (05). Esse foi primeiro concurso realizado pela empresa no Espírito Santo para homenagear mulheres que fazem a diferença no Terceiro Setor e nos setores público e privado. O evento foi realizado em Vitória, exclusivamente para as finalistas. Cada vencedora ganhou, além de um troféu personalizado, uma um cartão-presente a ser usado em qualquer estabelecimento no valor de R$ 5 mil.

A noite de premiação contou com diversas autoridades presentes, como Jacqueline Moraes, vice-governadora do Espírito Santo; Maria Virgínia Casagrande, primeira-dama do Estado e a juíza da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, Hermínia Azoury.

As vencedoras da primeira edição do prêmio foram Francielle Teixeira Rodrigues, do projeto “Sensações” (Categoria Micro e Pequena Empresa); Edivana Poltronieri Almança, do projeto “Não é sobre perder peso, é sobre ganhar vidas” (Categoria Média e Grande Empresa), Bartira Gomes de Almeida, do “Instituto Ponte” (Categoria Terceiro Setor) e Juliana Rohsner Vianna Toniati, do orojeto “Novo Jovens” (Categoria Setor Público).

"Nosso objetivo é identificar e homenagear os projetos, negócios e ações que são pioneiros no estado do Espírito Santo e conduzidos exclusivamente por mulheres. A banca examinadora teve grande dificuldade para escolher quatro vencedores, porque todos os projetos são maravilhosos. São ações que contribuem e inspiram para transformar o amanhã", disse Jennifer Coronel, gerente de Comunicação e Relações Institucionais da ArcelorMittal Tubarão.

Divulgação / ArcelorMittal Tubarão
Divulgação / ArcelorMittal Tubarão
Divulgação / ArcelorMittal Tubarão
Divulgação / ArcelorMittal Tubarão
Divulgação / ArcelorMittal Tubarão
Divulgação / ArcelorMittal Tubarão
Divulgação / ArcelorMittal Tubarão
Divulgação / ArcelorMittal Tubarão
Divulgação / ArcelorMittal Tubarão
Divulgação / ArcelorMittal Tubarão
Divulgação / ArcelorMittal Tubarão
Divulgação / ArcelorMittal Tubarão

A empresa estuda a possibilidade de realizar o prêmio novamente no ano que vem. "É a primeira vez que há um projeto exclusivo para mulheres no Estado. A ArcelorMittal está muito feliz com o resultado, com o engajamento de diversos setores. O empreendedorismo feminino cada vez mais é uma realidade e é a nossa missão incentivar. Estamos trabalhando já para realizar a segunda edição do prêmio em 2020, afirmou Erick Torres Bispo dos Santos, vice-presidente de Operações da ArcelorMittal Tubarão.

O concurso registrou 89 inscrições ao todo. Dessas, foram selecionadas 32 finalistas que, como primeira premiação, participaram de um curso de dois dias, no Centro de Educação Ambiental (CEA) da ArcelorMittal Tubarão, em agosto. A programação técnica foi ministrada pela Fundação Dom Cabral, com abordagens sobre Gestão Econômica e Financeira e Gestão de Performance.

O prêmio foi dirigido para mulheres maiores de 18 anos, residentes no Espírito Santo e que estivessem à frente de negócios/projetos (com ou sem fins lucrativos). A iniciativa visou a identificar e homenagear negócios, iniciativas, ações ou projetos implantados pioneiramente no Estado, há até cinco anos, conduzidos exclusivamente por mulheres capixabas e que gerem transformações sociais, econômicas ou ambientais.

Conheça as vencedoras:

Foto: Divulgação/ArcelorMittal

Francielle Teixeira Rodrigues - Projeto “Sensações” (Categoria Micro e Pequena Empresa): publicitária que atua há mais de 10 anos na Grande Vitória, ela desenvolveu um projeto de inclusão social que prevê atividades de fotografia submarina e ensaios fotográficos aquáticos para pessoas com deficiência (PCD) ou pessoas portadoras de deficiência (CONADE/SDH/PR).

Edivana Poltronieri Almança - Projeto “Não é sobre perder peso, é sobre ganhar vidas” (Categoria Média e Grande Empresa): exemplo de determinação, sua história vem sendo construída a partir de uma missão de vida: lutar contra obesidade. Sua experiência pessoal foi compartilhada e vivida por mais de 30 mil pessoas. Formada em Fisioterapia, docente da área da saúde, ela criou a experiência 5S de emagrecimento, um tratamento que oferece não apenas suporte nutricional, mas multidisciplinar, envolvendo duas fases importantes: a desintoxicação e a reprogramação

Bartira Gomes de Almeida - Projeto “Instituto Ponte” (Categoria Terceiro Setor): após 20 anos de experiência no setor privado, Bartira mudou radicalmente a sua trajetória e fundou, em setembro de 2014, uma instituição social que, com o auxílio de outros empresários, busca ser uma ‘ponte’ para dar a oportunidade de uma educação de qualidade para adolescentes de família de baixa renda.

Juliana Rohsner Vianna Toniati - Projeto “Novo Jovens” (Categoria Setor Público): diretora da EEEFM Jones José do Nascimento, localizada em Central Carapina (Serra), Juliana criou o projeto com proposta de construir uma nova identidade para a sua escola, com objetivos simples e imprescindíveis como valorizar a instituição; desenvolver sentimentos de pertencimento nos educandos; reduzir a depredação e a violência escolar; melhorar os aspectos físicos (mutirões de organização e limpeza, obras e outros) e com isso melhorou a aprendizagem e a cultura escolar.

Pontos moeda