Publicitária viraliza no Twitter ao relatar sexo barulhento de vizinha

Geral

Publicitária viraliza no Twitter ao relatar sexo barulhento de vizinha

Magalli Souza Lima, que mora em São Paulo e tem família no ES, relata que tem tido dificuldade para dormir, pois a vizinha começou a ter relações sexuais durante a madrugada

Foto: Divulgação

Uma publicitária paulista, que tem familiares no Espírito Santo, viralizou no Twitter ao relatar uma situação, no mínimo, constrangedora que ela viveu no condomínio onde mora. 

Magalli Souza Lima, de 30 anos, fez uma série de postagens narrando os constantes barulhos que ouve de um apartamento vizinho onde, segundo ela, a moradora tem mantido uma vida sexual bastante ativa.

A publicitária relata que tem tido dificuldade para dormir, nos últimos dias, pois, segundo ela, a tal vizinha começou a ter relações sexuais barulhentas com seu companheiro durante a madrugada.

Em suas postagens, Magalli conta que mudou para o atual condomínio há poucos meses e, no prédio, praticamente todos os quartos dão no mesmo vão. Isso, segundo ela, favorece escutar barulhos vindos dos apartamentos vizinhos.

A publicitária diz que, no começo, ouvia o gemido de uma vizinha que morava no apartamente de cima, mas que, segundo ela, era "baixinho" e "muito bonito". No entanto, ela percebeu que uma vizinha que mora logo na frente do quarto dela também tinha esse hábito, porém com um gemido "horripilante".

Ainda segundo Magalli, no começo o barulho vindo do apartamento da vizinha da frente ocorria pelo menos uma vez por semana. No entanto, com o tempo, foi aumentando de frequência e passou a ser ouvido durante as madrugadas.

Confira a sequência de postagens feitas pela publicitária:

Condomínio em Cariacica já repreendeu "intimidades de casais"

A situação relatada por Magalli é vivida por moradores de muitos outros condomínios. No Espírito Santo, um aviso em um prédio de Cariacica, abordando essa questão, chamou a atenção de muita gente.

Em julho deste ano, o condomínio pediu, em ata de reunião, que os moradores fizessem sexo com menos barulho. "A noite é hora de descanso", dizia o recado. 

Segundo a síndica, que pediu para que o conjunto residencial não fosse identificado, a "recomendação" foi feita depois que vizinhos se queixaram com ela do barulho da, digamos, atividade noturna mais exaltada em algumas unidades residenciais. 

"Foi pedido em reunião que as intimidades de casais na madrugada sejam mantidas com menos barulhos e gritos", reforça o comunicado.

Foto: Reprodução

A síndica disse que, por ela, não faria tal publicação. "Mas é algo que foi exposto na reunião de condomínio. Evidentemente, não foi falado quais os causadores dos barulhos mas eu tive que registrar essas queixas pela insistência de quem estava reclamando, como uma espécie de recado velado. Por mim, isto nem entraria na pauta. É algo que diz respeito ao cotidiano privado dos moradores", explica.

Para manter a identificação dos chamados barulhentos noturnos em sigilo, o documento com as recomendações foi enviado para todos os condôminos.