Protesto de rodoviários dá "nó" no trânsito da Capital e provoca transtornos para motoristas

Geral

Protesto de rodoviários dá "nó" no trânsito da Capital e provoca transtornos para motoristas

Mais uma vez, a pauta de reinvindicação da categoria é a volta dos cobradores aos seus postos de trabalho

Um novo protesto do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Espírito Santo (Sindirodoviários) deixou trânsito lento na Avenida Vitória e na região do Centro de Vitória na manhã desta quinta-feira (9). Os manifestantes se concentraram na Praça de Jucutuquara e seguiram ao Palácio Anchieta, sede do governo estadual.

A principal reinvindicação da categoria é a volta dos cobradores aos seus postos de trabalho. Eles estão afastados desde maio de 2020 por conta da pandemia do coronavírus.

Atualização: por volta das 10h15, o trânsito na Avenida Jerônimo Monteiro foi totalmente liberado.

Semobi se posiciona

Por meio de nota, a Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi) e a Ceturb-ES afirmaram que a manifestação só gera prejuízos para a população. Informaram também que o plano de retorno dos cobradores já está sendo discutido e finalizado.

Confira a nota na íntegra

"A Secretaria de Mobilidade e Infraestrutura (Semobi) e a Ceturb-ES esclarecem mais uma vez que a suspensão da atividade do cobrador no interior dos coletivos do Sistema Transcol são medidas adotadas pelo protocolo de enfrentamento a covid-19 no transporte coletivo metropolitano, junto com outras 40 ações.

E que este tipo de manifestação apenas traz prejuízos para a população, gerando atrasos nas linhas, acumulo de passageiros nos pontos e terminais e congestionamento nas vias.

A Semobi e a Ceturb-ES, esclarecem ainda que o início da vacinação da categoria em junho, a Semobi informa que já vem discutindo e está finalizando o plano de retorno dos cobradores para ser posto em prática quando for encerrado o estado de calamidade e /ou estiver em consonância com às autoridades de saúde e em um novo formato.

Em relação a este plano, a Semobi adianta que os cobradores devem retornar as suas atividades a bordo apenas em horários pré-determinados, como os de pico para auxiliar na comercialização de créditos do CartãoGV via pagamento com cartão de crédito ou débito.

Contudo, é importante que a categoria tenha completado o processo de imunização com a segunda dose da vacina. Bem como acompanhar a evolução da pandemia e possíveis variantes, seguindo as orientações das autoridades sanitárias. Vale ressaltar que todos os profissionais afastados estão recebendo integralmente seus salários.

Em relação a qualificação, esses profissionais estão desde 2019 participando de processos de requalificação e assumindo novas funções dentro do próprio sistema. Também já está em andamento o programa CNH requalifica, programa exclusiva para cobradores do transcol obterem sua habilitação, com o total de 1500 até 2022.

Os profissionais, devidamente registrados com a função de cobrador nas empresas que atendem ao Sistema Transcol, serão indicados pela Semobi e realizarão, a partir deste mês, o processo de Primeira Habilitação custeado pelo Detran|ES nas categorias “B” (carro) ou “AB” (moto e carro). O programa está dividido em três fases até o final de 2022, com a abertura de 500 vagas em cada para os contemplados realizarem, de forma gratuita, os exames médico, psicológico, aulas teóricas, práticas e os exames necessários para a obtenção da CNH. O investimento do Governo do Estado no programa é da ordem de R$ 2.267.400,00."

Passageiros seguem a pé

Por conta da lentidão no trânsito, muitos passageiros preferiram descer dos coletivos e seguir a pé para seu destino. Foi o caso do social media Vinicius Moulin, de 34 anos. Ele, que trabalha no Centro de Vitória, ficou mais de uma hora parado no trânsito e gravou um vídeo seguindo a pé para o trabalho (veja acima).

Reinvindicação antiga

No último dia 27 de agosto, a categoria também protestou na região do Centro de Vitória e complicou o trânsito.

Na época, o diretor do Sindirodoviários-ES, Miguel Leite, destacou que o transporte público poderia sofrer um 'blackout' a qualquer momento, caso os cobradores não sejam convocados de volta.

"Todos os trabalhadores do transporte coletivo já estão vacinados e a pandemia já está bem controlada, então o governador precisa atender a essa exigência. O cobrador não só cobra a passagem, ele opera o validador, auxilia o motorista em manobras e também auxilia pessoas com deficiência. Não existe só para receber o dinheiro da passagem, mas também para dar auxílio ao motorista e às pessoas mais importantes do coletivo, que são os passageiros", afirmou.