• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cai o número de atropelamentos nas ruas da Grande Vitória

Geral

Cai o número de atropelamentos nas ruas da Grande Vitória

O desrespeito às leis de trânsito não é cometido apenas por motoristas, os pedestres também criam muitas situações de risco que acabam em atropelamentos

O jovem não resistiu e morreu no local do acidente Foto: TV Vitória

No período de janeiro a setembro de 2013, o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar registrou 617 atropelamentos, com 23 mortes, na Grande Vitória. No mesmo período deste ano, foram 586 ocorrências, com 15 mortes. Os atropelamentos diminuíram, mas segundo a Polícia, não significa uma mudança no comportamento de pedestres e motoristas. 

Para o capitão Volpato, do Batalhão de Trânsito, toda vida é importante e os números ainda são alarmantes. “A gente comemora por um lado e não comemora tanto como deveria pelo outro. Os números ainda são alarmantes e eles refletem que pessoas jovens, que tem uma vida promissora pela frente, com muito para produzir e que tem uma família, tem a vida perdida no trânsito. Cada vida que se perde no trânsito é ruim, para a família e para a sociedade”, conclui o Capitão.

A relação entre carros e pedestres nas ruas tem que ser de respeito, mas a imprudência no trânsito tem causado muitos acidentes. O desrespeito às leis não é cometido apenas por motoristas, os pedestres também criam muitas situações de risco que acabam em atropelamentos. 

É possível flagrar pedestres atravessando fora das faixas em diversas ruas e avenidas da Grande Vitória. Mas essa atitude coloca em risco a própria vida do pedestre. Mas as maiores imprudências ao atravessar as vias são: fora da faixa, entre os veículos, falando ao celular, com fones de ouvido e enviando ou lendo mensagens nos aparelhos de celular. 

Rapaz é socorrido pelo Corpo de Bombeiros Foto: TV Vitória

Na última quinta-feira (16) um homem não teve muita sorte, foi atropelado na frente da rodoviária de Vitória. Ele atravessou o cruzamento fora da faixa de pedestres e foi atingido por um taxi. Segundo o Corpo de Bombeiros, a vítima parecia estar sob o efeito de álcool ou drogas e sofreu ferimentos leves, mas pela imprudência, podia ter perdido a vida. 

Segundo o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, os jovens são as principais vítimas de atropelamentos. “O pedestre nesta relação é a parte mais frágil, então ele tem que ter uma atenção redobrada, evitar utilizar telefones celulares, fones de ouvido, ou ouvir música quando estiver na rua, ou no trânsito. Mesmo ele estando certo e sofrendo o atropelamento, ele quem vai sofrer as conseqüências”, alertou o capitão Volpato.

No dia 29 de setembro uma universitária foi atropelada em cima da faixa de pedestres por um ônibus do sistema Transcol. Segundo o relato de uma testemunha, a jovem estava com fones de ouvido e aguardava para atravessar. Quando o sinal fechou, ela viu os carros parados e atravessou, mas como estava distraída, não percebeu a aproximação do ônibus. Ela foi atingida e arrastada por cerca de 30 metros na avenida Fernando Ferrari.

Uma adolescente, de 13 anos, ficou com ferimentos graves após ser atropelada quando atravessava fora da faixa de pedestres no dia 30 de julho. O acidente aconteceu na Avenida Beira Mar, na Capital.