Obras abandonadas servem de abrigo para criminosos e usuários de drogas em Ilhas das Flores

Geral

Obras abandonadas servem de abrigo para criminosos e usuários de drogas em Ilhas das Flores

Os moradores de Ilha das Flores reclamam da falta de um Posto de Saúde no bairro, pois quando precisam de atendimento médico é necessário ir entrar na fila da Unidade de Saúde de Paul

Posto de Saúde abandonado é utilizado por usuários de drogas e criminosos Foto: Reprodução/ TV Vitória

Uma obra de construção do Posto de Saúde no bairro Ilha das Flores, em Vila Velha,  está abandonada, e enquanto isso, os moradores precisam acordar cedo para entrar na fila de atendimento em Paulo, bairro vizinho.

O bairro possui também, há mais de 10 anos, paralisada a construção do Centro Comunitário. A obra foi depredada, pichada, virou esconderijo de criminosos e para consumo de drogas, provocando a insegurança nas proximidades.

Segundo o presidente comunitário do bairro, Valdecir Rocha, a obra teve início com recursos da comunidade, mas foi abandonada por falta de dinheiro. Ele contou ainda que algumas pessoas que frequentam o local colocaram fogo na estrutura da obra, o que levou a Defesa Civil a condenar o prédio. Por conta disso, o Centro Comunitário funciona na Escola Municipal Antônio Lobato.

Centro Comunitário abandonado pela comunidade está condenado pela Defesa Civil Foto: Reprodução/ TV Vitória

“Parte do nosso prédio está condenada e tem risco de desmoronar. Se eles ficarem aqui, a qualquer momento podemos ter uma tragédia”, informou o presidente comunitário.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde de Vila Velha explicou que um projeto foi enviado para o Governo do Estado, com a proposta de um convênio para a construção de duas unidades de saúde, uma em São Torquato e a outra em Vila Batista. Essas unidades atenderão aos moradores de Ilha das flores.

Porém, sobre o Centro Comunitário, a Secretaria de Obras informou que a construção não é de responsabilidade da comunidade, e que em caso de atitudes suspeitas no local a comunidade deve acionar a Polícia Militar.