Atuação da Cesan irá além da crise hídrica, diz novo diretor-presidente

Geral

Atuação da Cesan irá além da crise hídrica, diz novo diretor-presidente

Na situação crítica em torno do abastecimento nesse período em que algumas cidades estão à beira do desabastecimento de água, Andreão afirmou que é preciso atenção da população

Novo diretor da Cesan cita ações de curto, médio e longo prazos Foto: Estadão Conteúdo

O novo diretor-presidente da Cesan, Pablo Ferraço Andreão, afirmou nesta terça-feira (13) que a empresa atuará na busca por soluções da crise hídrica, mas também disse que sua atuação será de levar saneamento a várias cidades capixabas.

Na situação crítica em torno do abastecimento nesse período em que algumas cidades estão à beira do desabastecimento de água, o diretor-presidente afirmou que é preciso a população ficar atenta às determinações governamentais.

“Podemos e devemos esperar o melhor, mas também se preparar para o pior. Nesse sentido é louvável a linha de gestão, a linha estratégica que o governo Hartung adotou desde janeiro, colocando esse assunto para a sociedade. A crise hídrica não é assunto único da Cesan. E é um dos frutos que tenho conhecimento é que a Cesan conseguiu 9 bilhões de litros de água, o que representa o abastecimento da cidade de Serra por três meses”, citou Pablo Andreão.

Ele explicou que ações de curto, médio e longo prazos deverão ser adotados.

“As ações de curto prazo são ações duras, mas necessárias. Um exemplo é a restrição do uso de água em diversas cidades capixabas. Em nove localidades o abastecimento é destinado aos usos humano e animal”, explicou.

Mas Andreão salientou que a determinação de suspensão de abastecimento de água em algumas localidades foi fruto de um resolução da Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh).

“Isso pode mudar a cada 10 dias, 15 dias ou a cada semana”, lembrou ele.

“Existem ações mitigadoras, mas que não vão resolver o problema de imediato. É preciso manter a tranquilidade para implantar medidas de médio e longo prazos”, destacou.

Já entre as ações de médio prazo, Pablo Andreão citou a nova captação do Rio Reis Magos. 

“Finalizamos processo licitatório e vamos dar a ordem de serviço para empresa ganhadora iniciar obra”, contou o novo presidente da Cesan.

E acrescentou: “São investimentos na ordem de R$ 70 milhões”.

Para o longo prazo há o Programa Águas e Paisagens, que receberá do Banco Mundial recursos na ordem de R$ 1,3 bilhão.

“Este programa levará saneamento a diversas cidades que não possuem saneamento. Vamos colaborar com o reflorestamento. Esta obra dará resultado no longo prazo”, citou.