• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Justiça determina fim de protestos contra fechamento de postos de saúde em Cachoeiro

Geral

Justiça determina fim de protestos contra fechamento de postos de saúde em Cachoeiro

Entraram em vigor nesta segunda-feira (26) as adequações do horário de atendimento da Unidade de Saúde de Itaoca Pedra. Uma decisão da Justiça determina acesso ao local

O prefeito Casteglione se reuniu com vereadores e lideranças para resolver a situação. Foto: Divulgação/Prefeitura

Uma decisão do juiz de Direito João Batista Chaia Ramos, expedida na tarde desta segunda-feira (26), em Cachoeiro de Itapemirim, determina que moradores do distrito de Itaoca desobstruam imediatamente o acesso ao Posto de Saúde local, restituindo-o à posse direta da Municipalidade.

Por outro lado, a Prefeitura garante o retorno das atividades no posto de saúde, pois entraram em vigor, também nesta segunda-feira (26), as adequações em seu horário de atendimento.

A unidade vai funcionar com equipe de Estratégia Saúde da Família (ESF) – composta por médico, enfermeiro e agentes de saúde – de segunda a sexta, das 7h às 16h.

Já o pronto atendimento – outro serviço que conta com médico – estará disponível todos os dias, inclusive aos fins de semana e feriados, das 7h às 19h. Também diariamente, duas ambulâncias ficarão 24 horas disponíveis para atender os moradores do distrito.

Protestos

 

Dois dias seguidos de protesto obstruíram principais vias de Coutinho e Itaóca Pedra. Foto: Reprodução

Na segunda-feira da semana passada (19), a comunidade de Coutinho, revoltada com o fechamento do posto de saúde local, fechou a Rodovia ES 482, no trevo que dá acesso ao município de Castelo, causando um enorme engarrafamento. A Prefeitura informou, na ocasião, que o atendimento à comunidade passaria a ser feito no Posto de Saúde de Itaoca Pedra.

No dia seguinte (20), moradores do distrito de Itaoca Pedra também realizaram um protesto que bloqueou a principal estrada de acesso ao local. O grupo era contra o fechamento do posto de saúde que atende a região. A manifestação terminou por volta das 22h. Apesar da reclamação, a Prefeitura disse que a unidade não foi fechada.

Uma grande confusão tomou conta da manifestação. O carro do Corpo de Bombeiro chamado para conter o fogo da barricada foi apedrejado e, da mesma forma, a Polícia Militar.

Reuniões esclareceram adequações no atendimento

Para esclarecer dúvidas em relação às modificações no funcionamento da unidade, duas reuniões foram promovidas no gabinete do prefeito de Cachoeiro, Carlos Casteglione.

A primeira, na quinta-feira (22), reuniu os vereadores Wilson Dillen e Carlos Renato Lino, os secretários municipais de Saúde Edison Fassarela, de Obras Braz Barros, de Gestão Estratégica Mara Tosato, de Interior Elimar Ferreira e representantes dos moradores do distrito.

A segunda, neste domingo (25), reuniu mais de 30 pessoas, entre lideranças religiosas, comunitárias e legislativos da Câmara Municipal.

Em ambos os encontros, a prefeitura reforçou que nunca teve a intenção de fechar o local, mas, sim, tomar medidas que evitassem que, num futuro próximo, o município não pudesse ter condições de manter o funcionamento da unidade.

Tanto que, a todos os presentes da reunião de domingo, foi explicada a atual situação financeira, que acumula um déficit, entre janeiro e agosto deste ano, na ordem de R$ 13 milhões. Desses, R$ 6 milhões estão na área da saúde. Na ocasião, também foram esclarecidos os cortes que estão acontecendo em todas áreas, inclusive com a não realização do Carnaval e da Semana do Rei no ano que vem, além da demissão de pessoal contratado.