Quase mil prédios em Vitória não possuem alvará do Corpo de Bombeiros

Geral

Quase mil prédios em Vitória não possuem alvará do Corpo de Bombeiros

Um apartamento no 19º andar do edifício Aldebaran pegou fogo no domingo. Prédio está com a vistoria em dia, mas houve falha em seu sistema hidráulico

Cerca de 950 condomínios em Vitória funcionam sem o alvará do Corpo de Bombeiros, segundo informações da corporação. Tratam-se de prédios com o alvará de funcionamento vencido ou que deram entrada no processo de licenciamento, mas tiveram algum problema e nunca o concluíram. 

No entanto, além desses, existem prédios que nunca solicitaram vistoria alguma. Nesse caso, os bombeiros nem tem como saber quantos são. 

"Eles estão em risco. O Corpo de Bombeiro não foi lá e não deu um certificado de que ele está em condições de, caso haja um incêndio, impedir não somente a propagação, mas o principal, que é o início daquele incêndio. Então é importantíssimo que haja uma conscientização de todos, não somente do síndico, mas de todos os moradores, de que verifiquem se os prédios em que estão morando está regularizado", afirmou o tenente Joathan, do Corpo de Bombeiros.

Na tarde do último domingo (22), foi registrado um incêndio em um apartamento do 19º andar do edifício Aldebaran, no Centro de Vitória. O prédio precisou ser evacuado e os bombeiros conseguiram controlar as chamas. Ainda assim, o cheiro da fumaça permaneceu no local.

"Ainda está cheirando a fumaça e o susto está saindo aos poucos. Mas é o tipo de coisa que acontece. Não tem previsão e, infelizmente, aconteceu", lamentou o síndico do prédio, Vilmar Maria de Oliveira.

O edifício Aldebaran, no entanto, está com o alvará do Corpo de Bombeiros em dia, assim como cerca de 630 prédios na capital capixaba. A licença foi renovada em abril e tem validade até 2020.

No entanto, foi detectada uma falha no sistema hidráulico do prédio. A água não chegou ao hidrante do 19° andar, o que dificultou o trabalho dos bombeiros. Por causa da falha, o prédio precisará ser vistoriado novamente.

"Uma vez que ele está regularizado e, após esse incêndio, foi observado que um sistema não estava operando da forma que deveria operar - segundo as informações, não houve água o suficiente no sistema hidráulico preventivo, no sistema de hidrante de parede - vai ser verificado o que houve", afirmou o tenente Joathan.

Vilmar, no entanto, afirma que um funcionário vistoria o prédio inteiro todos os dias. "Nessa vistoria é verificado alarme de incêndio, as mangueiras, luzes de emergência, caixa dágua, reserva de bombeiro, cabos de elevadores. Tudo isso é olhado", garante.

Alvará

O tenente do Corpo de Bombeiros explica que o alvará de funcionamento deve ser solicitado pelo síndico ou administrador do prédio. Segundo ele, caso o responsável não faça isso, qualquer morador pode fazer uma denúncia.

"No caso de um morador identificar que seu prédio está irregular ou não tem o alvará ou está com alguma deficiência em algum equipamento de segurança contra incêndio, ele pode fazer uma denúncia via 181. Essa denúncia vai chegar até a sessão de fiscalização, que vai encaminhar vistoriadores ao local", explicou.

O tenente destacou ainda que os moradores devem ficar de olho nos sistemas de segurança dos prédios. "É muito importante que haja a manutenção periódica de todos os sistemas. Que seja verificado se realmente o sistema está em condições, não deixar que haja vazamento. Observou que tem alguma irregularidade, chamar a manutenção para todos os sistema que existirem no edifício", orientou.