Flexibilização: o que pode voltar a funcionar a partir de segunda no Espírito Santo

Geral

Flexibilização: o que pode voltar a funcionar a partir de segunda no Espírito Santo

76 dos 78 municípios capixabas estarão classificados com risco baixo para a transmissão da covid-19 a partir da próxima segunda-feira

Foto: Secult ES

O 25º Mapa de Risco, que foi divulgado no início da noite desta sexta-feira (02), pelo governador Renato Casagrande, durante um pronunciamento pelas redes sociais, aponta que 76 dos 78 municípios capixabas estarão classificados com risco baixo para a transmissão da covid-19 a partir da próxima segunda-feira (05). Apenas Piúma e São José do Calçado estão no risco moderado.

Com a aumento do número de cidades em risco baixo, a flexibilizaçõ de mais atividades foram liberadas a partir da próxima segunda-feira (05). No sistema Transcol, por exemplo, 100% da frota volta a circular nas ruas da Grande Vitória. A informação foi passada em coletiva na semana passada e confirmada pelo governador Renato Casagrande no pronunciamento.

Atualmente, 90% da frota está em circulação. Com o retorno da frota completa, os ônibus com ar condicionado voltam a operar. Eles estavam fora de circulação desde março deste ano, quando começou o aumento de casos de coronavírus no Espírito Santo.

Além disso, foram anunciadas, também, mudanças nas regras para o funcionamento de cinemas, teatros, circos e similares. Serão incluídas na Portaria nº 100-R, da Secretaria da Saúde (Sesa), as normas sobre venda de ingressos, higienização dos espaços, capacidade das salas, distanciamento a ser observado pelo público, entre outras. O protocolo deve ser divulgado neste sábado (03).

Também será autorizada a realização de exposições e feiras, desde que sejam observadas regras específicas pelos seus realizadores, como, por exemplo, protocolos relacionados à instalação de estandes, controle de acesso e à comercialização ou disponibilização de bilhetes, ingressos, vouchers ou credenciais.

Haverá ainda o acréscimo de regras voltadas aos parques de diversões, tais como: desinfecção de brinquedos e acessórios; demarcação de fluxos de entrada e saída de pessoas para evitar aglomerações; e a promoção de embarque e desembarque dos equipamentos sem contato físico entre visitantes e funcionários.